Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Análise numérica de pequenas paredes de alvenaria estrutural de blocos de concreto em situação de incêndio

Texto completo
Autor(es):
Paulo Roberto de Oliveira Carvalho [1] ; Davi Fagundes Leal ; Jorge Munaiar Neto [3]
Número total de Autores: 3
Afiliação do(s) autor(es):
[1] USP. EESC. Departamento de Engenharia de Estruturas - Brasil
[3] USP. EESC. Departamento de Engenharia de Estruturas - Brasil
Número total de Afiliações: 3
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: MATERIA-RIO DE JANEIRO; v. 26, n. 3 2021-10-11.
Resumo

RESUMO A alvenaria estrutural vem sendo amplamente difundida no Brasil, principalmente nas últimas três décadas. Em fase de projeto, as ações térmicas devem também ser consideradas para garantir a sua segurança estrutural contra incêndios, uma vez que altas temperaturas reduzem as propriedades mecânicas dos materiais, o que não é contemplado nas normas brasileiras. Assim, os projetistas tendem a recorrer a normas estrangeiras, as quais se baseiam em parâmetros de suas respectivas abrangências. Considerando tais problemas, este trabalho teve como objetivo desenvolver, a partir do software ABAQUS, modelos numéricos estruturais e termoestruturais de pequenas paredes compostas por blocos vazados de concreto, a fim de avaliar seu comportamento em temperatura ambiente e em situação de incêndio. Foi utilizada a estratégia de micromodelagem detalhada, ou seja, os modelos foram desenvolvidos considerando a representação individual dos blocos e juntas de argamassa, além da interface entre os materiais. Primeiramente, foram realizadas análises não lineares com paredes sob compressão à temperatura ambiente, cujos resultados indicaram boa concordância com ensaios experimentais disponíveis na literatura. No caso das análises termoestruturais, os elementos foram expostos ao Incêndio-Padrão proposto na ISO 834-1:1999 e a quatro diferentes níveis de tensão de compressão (0% a 80% de sua resistência à temperatura ambiente); também foram testadas variações referentes às condições de contorno, a fim de obter o tempo de resistência ao fogo para diferentes situações. Considerando as paredes submetidas a carregamento equivalente a 40% de sua resistência, os tempos mínimos de resistência ao fogo resultantes das análises numéricas foram de 70 e 59 minutos, segundo os critérios de resistência mecânica e isolamento térmico, respectivamente. No entanto, os resultados indicam que a resistência ao fogo da alvenaria depende fortemente do carregamento e condições de vinculação, observando-se diferenças de até 81% entre as situações analisadas. (AU)

Processo FAPESP: 17/20255-4 - Análises numérica e experimental de elementos de alvenaria estrutural em situação de incêndio com vistas à normatização
Beneficiário:Carlito Calil Junior
Modalidade de apoio: Auxílio à Pesquisa - Regular