Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Esgoto de hospital terciário como reservatório de bactérias expressando o fenótipo MDR no Brasil

Texto completo
Autor(es):
G. S. Zagui [1] ; K. A. A. Tonani [2] ; B. M. Fregonesi [3] ; G. P. Machado [4] ; T. V. Silva [5] ; L. N. Andrade [6] ; D. Andrade [7] ; S. I. Segura-Muñoz [8]
Número total de Autores: 8
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública - Brasil
[2] Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública - Brasil
[3] Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública - Brasil
[4] Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública - Brasil
[5] Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública - Brasil
[6] Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto. Departamento de Análises Clínicas - Brasil
[7] Universidade de Ribeirão Preto. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Departamento de Enfermagem Geral e Especializada - Brasil
[8] Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública - Brasil
Número total de Afiliações: 8
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Brazilian Journal of Biology; v. 82, 2021-03-05.
Resumo

Resumo Altas doses de antibióticos utilizados em hospitais podem afetar a composição microbiana dos esgotos, selecionando bactérias resistentes. Nesse sentido, avaliamos o perfil de resistência a antibióticos e o fenótipo multirresistente de bactérias isoladas em esgoto de um hospital terciário no interior do estado de São Paulo, Brasil. Para o isolamento de bactérias, foram semeados 10 µL das amostras de esgoto em meios de cultura seletivos e os isolados foram identificados usando o sistema automatizado VITEK-2. O teste de sensibilidade aos antibióticos foi realizado por disco-difusão em ágar. Elevadas porcentagens de resistência foram encontradas para amoxicilina, ampicilina, ceftazidima, clindamicina, vancomicina e o fenótipo multirresistente (MDR) foi atribuído a 60,7% dos isolados. Nossos resultados mostram bactérias classificadas como prioridade crítica/alta pela Lista de Patógenos Prioritários da OMS (Enterococcus e Staphylococcus aureus resistentes à vancomicina e Enterobacteriaceae resistentes aos carbapenêmicos) no esgoto hospitalar. Sendo assim, implementação de tecnologias de desinfecção do esgoto hospitalar reduziriam a carga bacteriana no esgoto que chegará às estações de tratamento de esgoto urbanas, minimizando a contaminação dos ecossistemas hídricos receptores e a disseminação da resistência bacteriana no ambiente. (AU)

Processo FAPESP: 17/10723-0 - Avaliação da multirresistência aos antibióticos de bactérias isoladas de efluente hospitalar e domiciliar: determinação da sobrevida ao tratamento de esgoto e de enzimas inativadoras de antibióticos
Beneficiário:Guilherme Sgobbi Zagui
Modalidade de apoio: Bolsas no Brasil - Mestrado