Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Adiponectina, vitamina D e estado nutricional em pacientes com câncer colorretal avançado e em seguimento

Texto completo
Autor(es):
Mariana Abe Vicente CAVAGNARI [1] ; Verônica Marques VIDIGAL [2] ; Tiago Donizetti SILVA [3] ; Katia BARÃO [4] ; Nora Manoukian FORONES [5]
Número total de Autores: 5
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Universidade Federal de São Paulo. Departamento de Medicina. Setor de Oncologia - Brasil
[2] Universidade Federal de São Paulo. Departamento de Medicina. Setor de Oncologia - Brasil
[3] Universidade Federal de São Paulo. Departamento de Medicina. Setor de Oncologia - Brasil
[4] Universidade Federal de São Paulo. Departamento de Medicina. Setor de Oncologia - Brasil
[5] Universidade Federal de São Paulo. Departamento de Medicina. Setor de Oncologia - Brasil
Número total de Afiliações: 5
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Arq. Gastroenterol.; v. 56, n. 2, p. 172-177, 2019-08-26.
Resumo

RESUMO CONTEXTO: Considerando a alta incidência de óbitos devido ao câncer coloretal (CCR), estudos investigaram variáveis que podem afetar a sobrevida, com objetivo de prolongar a sobrevida. O estado nutricional desses pacientes também pode predizer a sobrevida. OBJETIVO: O objetivo do presente estudo foi avaliar se o índice de massa corporal (IMC), a porcentagem de gordura, os níveis séricos de adiponectina e de vitamina D são relevantes para a caracterização e diferenciação de pacientes com CCR avançado e pacientes com histórico de CCR. MÉTODOS: O estudo foi realizado por pacientes com câncer colorretal avançado (Grupo 1) e pacientes em acompanhamento após o tratamento do CCR (Grupo 2). O estado nutricional foi avaliado por meio do IMC, percentual de gordura corporal, ângulo de fase da bioimpedância elétrica, escore de Avaliação Global Subjetiva Gerada pelo Paciente. As concentrações de adiponectina foram determinadas por ELISA e os níveis de vitamina D foram medidos por meio de cromatografia líquida de alta performance. RESULTADOS: Os grupos 1 e 2 consistiram de 23 e 27 pacientes, respectivamente. O IMC, percentual de gordura corporal, ângulo de fase, níveis de vitamina D e adiponectina não foram significativamente diferentes entre os grupos. O escore médio da Avaliação Global Subjetiva Gerada pelo Paciente foi significativamente maior no grupo 1 em comparação com o Grupo 2, e foi significativamente correlacionado com o risco de mortalidade a longo prazo. CONCLUSÃO: Entre os indicadores do estado nutricional, apenas o escore da Avaliação Global Subjetiva Gerada pelo Paciente foi significativamente diferente entre os grupos e foi um importante preditor de sobrevida em pacientes com câncer colorretal avançado. (AU)

Processo FAPESP: 10/19191-2 - Análise da eficácia de métodos e indicadores de estado nutricional em pacientes com câncer de esôfago, gástrico e colorretal
Beneficiário:Nora Manoukian Forones
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular