Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Prevalence of bacterial vaginosis and factors associated among women who have sex with women

Título (Português): Prevalência de vaginose bacteriana e fatores associados em mulheres que fazem sexo com mulheres
Texto completo
Autor(es):
Mariana Alice de Oliveira Ignacio ; Juliane Andrade ; Ana Paula Freneda de Freitas ; Gabriel Vitor da Silva Pinto ; Marcia Guimarães da Silva ; Marli Teresinha Cassamassimo Duarte
Número total de Autores: 6
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Revista Latino-Americana de Enfermagem; v. 26, p. -, 2018.
Resumo

ABSTRACT Objective: to describe the prevalence of bacterial vaginosis and factors associated among women who have sex with women. Method: cross-sectional, descriptive and analytical study with 150 women. The vaginal microbiota profile was analyzed by microscopic examination of vaginal swabs according to the Gram method. Endocervical samples were collected with cytobrush for the investigation of endocervicitis by Chlamydia trachomatis. The polymerase chain reaction was used to diagnosis Human Papillomavirus infection. Socio-demographic data, sexual behavior and clinical history were obtained through an interview. Logistic regression was performed to identify risk factors independently associated with bacterial vaginosis. Results: among the 150 participants, 71 (47.3%) presented some alteration in the vaginal microbiota, 54 (36.0%) bacterial vaginosis and 12 (8.0%) Flora II. The variable independently associated with bacterial vaginosis was the use of sexual accessories [2.37(1.13-4.97), p=0.022]. Conclusion: the high prevalence of bacterial vaginosis among women who have sex with women indicates the need for screening this population and association between use of sexual accessories and this disease suggests the possibility of transmission of sexual fluids between the partners during the sexual act, which demonstrates the need for educational actions on sexual and reproductive health. (AU)

Resumo

RESUMO Objetivo: descrever a prevalência de vaginose bacteriana e fatores associados em mulheres que fazem sexo com mulheres. Método: trata-se de estudo transversal, descritivo e analítico com 150 mulheres. O padrão de microbiota vaginal foi analisado por microscopia do conteúdo vaginal corado pelo método de Gram. Amostras de secreção endocervical foram coletadas com cytobrush para a pesquisa de endocervicites por Chlamydia trachomatis e para infecção por Papilomavírus Humano por meio de reação em cadeia da polimerase. Dados sociodemográficos, de comportamento sexual e de história clínica foram obtidos por entrevista. Regressão logística foi realizada para identificar fatores de risco independentemente associados à vaginose bacteriana. Resultados: dentre as 150 participantes, 71 (47,3%) tinham alguma alteração da microbiota vaginal, 54 (36,0%) vaginose bacteriana e 12 (8,0%) Flora II. A variável independentemente associada com vaginose bacteriana foi o uso de acessórios sexuais [2,37(1,13-4,97), p=0,022]. Conclusão: a elevada prevalência de vaginose bacteriana entre mulheres que fazem sexo com mulheres aponta a necessidade de rastreio nessa população. O uso de acessórios sexuais associado a esse agravo sugere a possibilidade de transmissão de fluidos sexuais entre as parceiras durante o ato sexual, o que demonstra necessidade de ações de educação em saúde sexual e reprodutiva. (AU)

Processo FAPESP: 15/04224-6 - Acesso a serviços de saúde e saúde sexual e reprodutiva de mulheres que fazem sexo com mulheres
Beneficiário:Marli Teresinha Cassamassimo Duarte
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular