Busca avançada
Ano de início
Entree


Balzac no Brasil: entre livreiros-editores e o romance de José de Alencar

Texto completo
Autor(es):
Lilian Tigre Lima
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São José do Rio Preto. 2018-03-27.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (Unesp). Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas. São José do Rio Preto
Data de defesa:
Orientador: Lúcia Granja
Resumo

O presente trabalho de Mestrado propõe um novo olhar para a relação de José de Alencar com o seu leitor. Em termos mais específicos, o objetivo deste trabalho foi debater em que medida a leitura de Honoré de Balzac no Brasil, um dos modelos do Alencar urbano, antecede a leitura de José de Alencar, como se tem pensado, e, em que medida, o romancista brasileiro, ao se apropriar dessa literatura ainda desconhecida pelo público de língua portuguesa por aqui, contribui para a criação e educação do “gosto” dessa parcela do público leitor de romances. Para se chegar à confirmação dessa hipótese inicial, a pesquisa tem se debruçado sobre dois eixos de investigação. No primeiro deles, centrado nos aspectos literários propriamente ditos, analisa-se, a partir dos romances Eugénie Grandet (1833), de Balzac, e Senhora (1875), de Alencar, os esforços do escritor brasileiro por extrapolar a técnica do mestre francês no que diz respeito ao tratamento dos dramas humanos, bem como o empenho do romancista no que diz respeito à compreensão e ficcionalização do quadro social brasileiro oitocentista. No segundo e principal eixo deste trabalho, por sua vez, as atenções são voltadas para as fontes primárias, tais quais primeiras edições, cuja análise abre novos caminhos para o conhecimento dos modos de produção, divulgação e recepção da literatura no período, e, consequentemente, para uma compreensão mais diversificada da História Cultural brasileira desse mesmo período. Colocando em cheque o conceito de fonte e de influência, a dicotomia entre periferia e centro, bem como a ideia convencional de atraso, este trabalho, ao posicionar José de Alencar no centro da formação de um público, convida a se repensar o papel do escritor também na formação de um sistema literário no Brasil, mostrando que muito se ganha ao tornar prismática a ideia de que o contato do leitor brasileiro com os romances europeus preexistiu à leitura dos romances nacionais. (AU)

Processo FAPESP: 15/24023-5 - Balzac no Brasil: o romance de Alencar e a formação do gosto literário (século XIX)
Beneficiário:Lilian Tigre Lima
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado