Busca avançada
Ano de início
Entree


Desenvolvimento de uma câmara para teste de preferência

Autor(es):
Ana Paula de Assis Maia
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Engenharia Agrícola
Data de defesa:
Membros da banca:
Marcos Martinez do Vale; Danilo Florentino Pereira; Leda Gobbo de Freitas Bueno; Irenilza de Alencar Nääs
Orientador: Daniella Jorge de Moura
Resumo

Estimar o bem-estar animal com precisão ainda é um desafio enfrentando a campo e nas pesquisas. Os testes de preferência constituem uma ferramenta importante nesta avaliação, uma vez que, a preferência do animal a um ambiente ou determinado recurso pode estar relacionada ao seu bem-estar. Esta tese foi proposta com objetivo de desenvolver e validar duas câmaras para teste de preferência: Câmara de Preferência Ambiental (CPA) e Câmara de Preferência por Passagem (CPP). A CPA foi construída, comissionada e validada e tem como objetivo principal avaliar respostas comportamentais de frangos de corte quanto a diferentes condições de temperatura do ar e amônia. A CPA consistiu em três compartimentos interligados em paralelo por uma porta automática para passagem das aves, e separados por uma parede de acrílico. A câmara possui controle automático de temperatura do ar e concentração de amônia para cada compartimento, sistema de monitoramento do comportamento e sistema de rastreamento das aves por rádio frequência. A CPA foi comissionada quanto à distribuição do ar, temperatura máxima e mínima de operação do sistema, isolamento do ar entre compartimentos, uniformidade dentro dos compartimentos, e acurácia e precisão do controle para cada variável ambiental. Cada compartimento foi capaz de controlar diferentes concentrações de amônia e temperatura, com pequena variabilidade interna, mínima contaminação cruzada e com acurácia e repetibilidade das condições ambientais. Após o teste de comissionamento, um experimento piloto foi conduzido para avaliar o uso da CPA por frangos de corte. Um grupo com nove frangos de corte foram alojados na CPA por 19 dias. O experimento foi dividido em três períodos: habituação à câmara, habituação à porta automática e período experimental, no qual as aves foram submetidas à condição de estresse por calor e termoneutralidade. Durante a habituação à câmara, as aves movimentaram-se a uma taxa média de 7 movimentos/ave/hora. Na presença da porta automática, os movimentos foram reduzidos para uma média de 2,3 movimentos/ave/hora. Conforme esperado, os frangos de corte evitaram o ambiente de estresse, o que indica que a estrutura construtiva da CPA estava adequada para alojamento e movimentação das aves. Já a CPP consiste em duas gaiolas conectadas por cinco túneis de acrílico, equipada com um sistema automático de detecção do movimento das aves. Este sistema foi validado e apresentou acurácia de 87,8% (detectando o movimento e indicando a posição da ave corretamente). A CPP foi validada avaliando o comportamento e a preferência de galinhas a três diferentes tipos de portas de passagem: cortina de vinil, corrente de plástico e painel de acrílico. As aves preferiram as portas de corrente de plástico e cortina de vinil comparado ao painel de acrílico. Os comportamentos avaliados (comer, em pé e deitar) não foram afetados pela presença das portas. Estes resultados indicam que qualquer um dos três tipos de porta testados pode ser utilizado nos sistemas de testes de preferência, os quais, geralmente, separam os ambientes de escolha por portas de passagem. Diante do exposto, concluiu-se que as câmaras de preferência propostas estão adequadas para condução dos testes de preferência. (AU)

Processo FAPESP: 09/09717-0 - Desenvolvimento de uma câmara para teste de preferência
Beneficiário:Ana Paula de Assis Maia
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado