Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Estrutura trófica de macroinvertebrados em riachos tropicais de pastagem

Texto completo
Autor(es):
Bruna Neves da Silveira-Manzotti [1] ; Angelo Rodrigo Manzotti [2] ; Mônica Ceneviva-Bastos [3] ; Lilian Casatti [4]
Número total de Autores: 4
Afiliação do(s) autor(es):
[1] Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas - Brasil
[2] Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas - Brasil
[3] Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Ciências e Letras - Brasil
[4] Universidade Estadual Paulista. Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas - Brasil
Número total de Afiliações: 4
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Acta Limnol. Bras.; v. 28, 2016-09-26.
Resumo

Resumo Objetivos: O objetivo deste estudo foi descrever a dieta de macroinvertebrados aquáticos de riachos e determinar seus grupos tróficos. Métodos Os invertebrados foram amostrados com rede D em três riachos localizados em áreas de pastagens. Eles foram identificados ao nível de gênero (com exceção da família Chironomidae) e submetidos a análises de dieta, exceto os Hemiptera sugadores, cuja dieta foi obtida a partir da literatura. Os grupos tróficos foram determinados por uma análise de similaridade utilizando o coeficiente de similaridade de Bray-Curtis. Resultados Cinco grupos tróficos foram definidos: detritívoro-fino (dieta baseada em matéria orgânica particulada fina - FPOM), detritívoro-grosso/herbívoro (consumindo principalmente matéria orgânica particulada grossa – CPOM – e material vegetal), onívoro, predador-especialista (dieta especializada em inseto aquático) e predador-generalista. Ephemeroptera, Diptera (exceto Tanypodinae), Coleoptera e Trichoptera (exceto Smicridea) representam os detritívoros. Macronema (Trichoptera) foi o único táxon que se alimentou exclusivamente de material vegetal e Tanypodinae e Smicridea foram classificados como onívoros. As famílias Calopterygidae e Gomphidae foram classificadas como predador-especialista e Macrobrachium (Decapoda), Belostoma e Limnocoris (Hemiptera) como predador-generalista. Conclusões A grande quantidade e frequência de ocorrência de FPOM consumido pela maioria dos táxons demonstram a importância desse recurso alimentar para as comunidades de macroinvertebrados de riachos tropicais. Além disso, a variação nos grupos tróficos observada em alguns táxons reforça a natureza generalista e oportunista dos invertebrados aquáticos. Tais achados reforçam a importância de realizar análises de dieta para compreender o papel ecológico das espécies na estrutura e funcionamento dos riachos tropicais. (AU)

Processo FAPESP: 12/06041-8 - Influência da diversidade de tipos de habitat na estrutura trófica de macroinvertebrados aquáticos
Beneficiário:Bruna Neves da Silveira
Modalidade de apoio: Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Processo FAPESP: 11/11641-1 - Efeitos do incremento da complexidade estrutural em riachos degradados: dinâmica de detritos, fluxos de energia e tramas alimentares
Beneficiário:Mônica Ceneviva Bastos
Modalidade de apoio: Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado