Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação do efeito do citral na dor neuropática e na inflamação

Texto completo
Autor(es):
Catarine Massucato Nishijima
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Botucatu. 2015-06-17.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (Unesp). Instituto de Biociências. Botucatu
Data de defesa:
Orientador: Clélia Akiko Hiruma Lima
Resumo

Lesões do sistema nervoso periférico que resultam em dor neuropática podem evoluir em substancial perda funcional e diminuição da qualidade de vida do paciente pelo permanente prejuízo das funções sensório-motoras. Cirurgias comuns tais como cirurgia da mama, cirurgias cardíacas, torácicas, abdominais, cesarianas e amputações culminam com o quadro de dor aguda pós-operatória (DPO) seguida de dor persistente. Aproximadamente 10 % dos pacientes evoluem para dor crônica com duração entre 3 a 6 meses após a cirurgia. A sensação dolorosa é exacerbada por atividades cotidianas como caminhar, tossir e por estímulos inócuos como toque e temperatura. Outra condição clínica investigada no presente trabalho é a dor crônica na Síndrome da Dor Complexa Regional do tipo I (SDCR-I). SDCR-I é uma neuropatia crônica de origem multifatorial, decorrente de injúria tecidual profunda tais como torções, fraturas, utilização de torniquete, infarto, acidente vascular encefálico e alterações vasculares como no fenômeno de Raynaud. A condução clínica da dor neuropática é complexa, uma vez que ela se mostra refratária a maioria dos medicamentos analgésicos disponíveis no mercado, razão pela qual existe um grande interesse na avaliação de novos agentes com potencial anti-nociceptivo. Citral, um terpeno amplamente encontrado em óleos essenciais de capim-cidreira, melissa, citronela, entre outras espécies vegetais, tem se destacado pelas suas propriedades farmacológicas, dentre elas seu efeito agonista em canais TRPs (receptor de potencial transitório). Neste trabalho constatamos que citral nas doses de 100 mg/kg e 300 mg/kg (p.o) apresenta atividade antinociceptiva e anti-inflamatória em modelos agudos de nocicepção e inflamação (teste da formalina, placa quente, dor aguda pós-operatória e edema de orelha induzido por xilol) sem alterar a coordenação e a performance locomotora dos animais. Animais ... (AU)

Processo FAPESP: 10/01141-9 - Avaliação do efeito do citral na dor neuropática e na inflamação
Beneficiário:Catarine Massucato Nishijima
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado