Busca avançada
Ano de início
Entree

Adriano Defini Andricopulo

CV Lattes ORCID


Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Física de São Carlos (IFSC)  (Instituição Sede da última proposta de pesquisa)
País de origem: Brasil

É professor titular da Universidade de São Paulo (USP) e bolsista de produtividade em pesquisa nível 1A do CNPq. É presidente da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (ACIESP). É membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e membro titular da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (ACIESP). É fellow da Royal Society of Chemistry (RSC) e fellow da International Union of Pure and Applied Chemistry (IUPAC). Possui graduação em Química (UFSM), mestrado e doutorado em Química Orgânica (UFSC), com estágio de doutorado-sanduíche e pós-doutorado em Química Medicinal pela University of Michigan. Seus principais interesses de pesquisa se concentram em química medicinal, planejamento e desenvolvimento de fármacos e medicamentos de origem natural e sintética para o tratamento de doenças tropicais negligenciadas e câncer. É membro titular do Comitê Gestor do Fundo de Biotecnologia (CT-BIOTEC) do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) e membro titular do Conselho Curador da Fundação de Apoio a Física e a Química (FAFQ). É chefe do Departamento de Física e Ciência Interdisciplinar (FCI) do IFSC-USP. É coordenador de transferência de tecnologia do Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos (CIBFar-CEPID/FAPESP) e coordenador científico do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Biodiversidade e Produtos Naturais (INCT-BioNat). É coordenador de Projeto Temático em cooperação internacional com a University of Dundee/MRC/UKRI/Newton Fund/FAPESP. Apresentou mais de 450 conferências/palestras/seminários no Brasil e exterior. Participou de vários comitês de avaliação nacionais e internacionais e foi coordenador do Comitê de Assessoramento de Química (CA-QU) do CNPq. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Química (SBQ) e presidente do World Chemistry Congress (IUPAC-2017). Foi presidente-sucessor, secretário geral, vice-diretor e diretor da divisão de química medicinal e membro do Conselho Consultivo da SBQ. Foi secretário regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC - SP/Subárea III), Foi coordenador do Centro de Referência em Química Medicinal para a Doença de Chagas da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil - TDR/OMS-UNICEF/PNUD/World Bank e vice-coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Biotecnologia Estrutural e Química Medicinal em Doenças Infecciosas (INBEQMeDI). Foi presidente da Comissão de Pesquisa do IFSC-USP, membro do Conselho de Pesquisa da USP e membro afiliado da Academia Brasileira de Ciências (ABC-2008). Foi membro titular da Division of Chemistry and Human Health, membro do International Advisory Board da IUPAC-2015 (Coreia do Sul) e membro do International Advisory Board do Centenário da IUPAC (IUPAC-2019, França). (Fonte: Currículo Lattes)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o(a) pesquisador(a):
Uma agenda para as doenças esquecidas 
Matéria(s) publicada(s) no Pesquisa para Inovação FAPESP sobre o(a) pesquisador(a):
Cerimônia de encerramento do Ciclo de Conferências FAPESP 60 Anos 
Violência e Radicalização 
Saúde Humana e os Desafios Globais das Doenças Crônicas e Infecciosas 
Doenças Negligenciadas: Química Medicinal e Produtos Naturais 
Ciência e Sociedade 
Consórcio busca criar novos medicamentos contra Chagas, leishmaniose e malária 
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o(a) pesquisador(a)
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)
Auxílios à pesquisa
Bolsas no país
Bolsas no Exterior
Apoio FAPESP em números * Quantidades atualizadas em 22/06/2024
Colaboradores mais frequentes em auxílios e bolsas FAPESP
Contate o Pesquisador

Serviço temporariamente indisponível

Palavras-chave utilizadas pelo pesquisador
Videos relacionados aos auxílios à pesquisa e bolsas

SP Pesquisa - A medicina na floresta - 1º Bloco


Publicado em 15 de agosto de 2015 - SP Pesquisa - A medicina na floresta - 1º Bloco. O potencial medicinal da biodiversidade brasileira é incalculável e pode ter o caminho para o tratamento de inúmeras doenças. O desafio de realizar esse potencial e de transformar essa matéria-prima encontrada na natureza em fármacos é enfrentado pelo Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos (CIBFar), CEPID criado em 2013 e financiado pela FAPESP. Coordenado por Glaucius Oliva, ex-presidente do CNPq, e instalado no Instituto de Física de São Carlos da USP, o centro dá atenção especial à busca por tratamentos contra as chamadas doenças negligenciadas (assim chamadas porque normalmente atingem as populações mais pobres do planeta e, por isso, não atraem o interesse das companhias farmacêuticas), como leishmaniose, doença de Chagas e malária.

SP Pesquisa - A medicina na floresta - 2º Bloco


Publicado em 15 de agosto de 2015 - SP Pesquisa - A medicina na floresta - 2º Bloco. O potencial medicinal da biodiversidade brasileira é incalculável e pode ter o caminho para o tratamento de inúmeras doenças. O desafio de realizar esse potencial e de transformar essa matéria-prima encontrada na natureza em fármacos é enfrentado pelo Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos (CIBFar), CEPID criado em 2013 e financiado pela FAPESP. Coordenado por Glaucius Oliva, ex-presidente do CNPq, e instalado no Instituto de Física de São Carlos da USP, o centro dá atenção especial à busca por tratamentos contra as chamadas doenças negligenciadas (assim chamadas porque normalmente atingem as populações mais pobres do planeta e, por isso, não atraem o interesse das companhias farmacêuticas), como leishmaniose, doença de Chagas e malária.

Por favor, reporte erros na informação da página do pesquisador utilizando este formulário.
X

Reporte um problema na página


Detalhes do problema: