Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito da ração hiperlipídica e do extrato aquoso de erva-mate (Ilex paraguariensis) sobre a composição corporal e sobre a resposta inflamatória de macrófagos peritoniais de ratos Wistar

Texto completo
Autor(es):
Maria Carolina Borges
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Saúde Pública (FSP/CIR)
Data de defesa:
Membros da banca:
Marcelo Macedo Rogero; Ana Campa; Marilia Cerqueira Leite Seelaender
Orientador: Marcelo Macedo Rogero
Resumo

Introdução - A inflamação está envolvida na patogênese da síndrome metabólica e de diversas doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). Em macrófagos, a modulação da expressão gênica de mediadores inflamatórios está, em grande parte, sob o controle do fator de transcrição nuclear kappa B (NF-B), cuja atividade é modulada por diversos compostos bioativos presentes em alimentos. A erva-mate (Ilex paraguariensis) contém compostos bioativos, como o ácido cafeico, o kaempferol, a quercetina e o ácido 3,5-dicafeoilquínico, que apresentam a capacidade de reduzir a ativação do NF-B in vitro em macrófagos. Objetivo - Investigar os efeitos da ração hiperlipídica (HL) e da ingestão do extrato aquoso de erva-mate sobre a composição corporal e sobre a resposta inflamatória de macrófagos peritoniais de ratos Wistar. Métodos - Ratos Wistar, machos, foram submetidos à ração controle (n= 36) ou ração HL (n= 36) por 12 semanas. Após esse período, 12 animais de cada grupo foram eutanasiados, enquanto o restante foi distribuído em grupos que receberam ou não, por gavagem, o extrato aquoso de erva-mate durante o período de quatro semanas. Os resultados relativos ao efeito da ração HL foram comparados pelo test t de Student não pareado ou seu equivalente não-paramétrico (Mann-Whitney). Para a análise do efeito da erva-mate, utilizou-se a análise de variância (ANOVA, post-hoc de Tukey) ou seu equivalente não-paramétrico (teste de Kruskal-Wallis, post-hoc de Dunn). Adotou-se como nível de significância p < 0,05. Resultados - Após 12 semanas, o consumo de ração HL resultou em aumento significativo do ganho de peso, de gordura corporal e do índice HOMA (Homeostasis Model Assessment) (p < 0,05). Não foi observada alteração dos biomarcadores sistêmicos de inflamação, como o fator de necrose tumoral (TNF)-, a interleucina (IL)-6 e o inibidor do ativador de plasminogênio (PAI)-1. Em relação aos ensaios envolvendo macrófagos peritoniais, observou-se capacidade reduzida de síntese de IL-1, IL-6, óxido nítrico (NO) e IL-10 nas células dos animais com ração HL, quando estimuladas com LPS (p < 0,05). Tal fenômeno foi acompanhado por diminuição da fosforilação da quinase do inibidor do B (IKK)-, da degradação do inibidor do B (IB)- e da ativação do NF-B (p < 0,05). A ingestão do extrato aquoso de erva-mate atenuou o ganho de peso e de gordura corporal e reduziu as concentrações plasmáticas de insulina, TNF- e IL-6 (p < 0,05). Não foi observado efeito do extrato aquoso de erva-mate sobre os parâmetros relativos à resposta inflamatória de macrófagos peritoniais. Conclusões - O consumo crônico da ração HL resultou em redução da capacidade de síntese de mediadores inflamatórios por macrófagos peritoniais estimulados com LPS, o que foi acompanhado por redução da ativação da via de sinalização do NF-B. Embora a ingestão de erva-mate não tenha influenciado a resposta inflamatória dos macrófagos, houve redução do percentual de gordura corporal e de marcadores de risco cardiometabólico, sugerindo potencial benefício da ingestão do extrato aquoso de erva-mate na redução do risco de DCNT (AU)

Processo FAPESP: 09/02371-0 - Efeito da ingestão do extrato aquoso de erva-mate (Ilex paraguariensis) sobre a via de sinalização do fator nuclear kappa B de macrófagos peritoniais de ratos submetidos à dieta hiperlipídica
Beneficiário:Maria Carolina Borges
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado