Busca avançada
Ano de início
Entree


Da frente ao fundão da sala de aula: masculinidades e envolvimento escolar na periferia de São Paulo

Texto completo
Autor(es):
Cinthia Torres Toledo
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Educação (FE/SBD)
Data de defesa:
Membros da banca:
Marilia Pinto de Carvalho; Maria Carla Corrochano; Mauricio Ernica; Gabriel de Santis Feltran; Fabiana Augusta Alves Jardim
Orientador: Marilia Pinto de Carvalho
Resumo

Essa pesquisa teve como objetivo investigar se as noções coletivas de gênero do grupo de pares eram contrárias à demonstração de envolvimento escolar pelos meninos. Essa pergunta foi elaborada em diálogo com a literatura sobre masculinidades e desempenho escolar e tinha como objetivo nuançar a compreensão sobre os processos sociais que culminam em um quadro de maior desvantagem no acesso integral à educação básica entre meninos negros e pobres. Para isso foi realizada uma pesquisa etnográfica em uma escola pública, localizada na periferia de São Paulo, considerando a intersecção entre gênero, raça e classe no contexto de expansão do crime e da violência policial contra os meninos periféricos na cidade de São Paulo. Ao longo do ano letivo de 2018, foram observadas as interações de estudantes de duas turmas do 9º ano do ensino fundamental, em diferentes momentos e espaços escolares, e entrevistados estudantes, professoras e uma gestora da escola. O material empírico foi analisado no esforço de compreender as hierarquias e relações de poder entre meninos que se dividiam entre os grupos da frente e do fundão, estabelecendo uma relação de oposição e conflito no cotidiano da escola. Essa análise nos permite afirmar que o envolvimento escolar dos meninos tendia a ser desvalorizado pelos pares, enquanto práticas de masculinidades contrárias à escola e que tomavam o crime como uma referência positiva tendiam a ser valorizadas entre meninos e meninas. Por fim, argumento que apesar dos estudantes se dividirem em dois grupos de meninos, frente e fundão não devem ser tratados analiticamente como dois tipos de masculinidade e de relação com a escola, mas como um espectro de práticas de masculinidade entre meninos que negociavam formas plurais de estar no mundo, diante das desigualdades estruturais que condicionavam suas vidas e seus processos de escolarização na periferia da cidade. (AU)

Processo FAPESP: 17/23325-3 - Desempenho escolar, gênero e raça: a agência de alunos e alunas no final do ensino fundamental
Beneficiário:Cinthia Torres Toledo
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado