Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação da ecotoxicidade da água produzida de petróleo antes e após diferentes tratamentos em organismos aquáticos (Danio rerio, Vibrio fischeri, Daphnia similis, Daphnia magna, Chironomus riparius e Dugesia tigrina )

Texto completo
Autor(es):
Taís Suelen Viana
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (PCARP/BC)
Data de defesa:
Membros da banca:
Danielle Palma de Oliveira; Carlos Alexandre Sarabando Gravato; Gisela de Aragão Umbuzeiro
Orientador: Danielle Palma de Oliveira
Resumo

A água produzida (AP) por indústrias petrolíferas é um resíduo altamente impactante para os ecossistemas. Quando descartada em ambientes aquáticos, pode contaminar a biota ali presente, além de ocasionar danos muitas vezes irreversíveis aos ecossistemas afetados. Sua toxicidade é devido à variedade de compostos que a constitui, como metais e uma variedade de compostos orgânicos e inorgânicos. Considerando o potencial poluidor deste resíduo, a AP necessita tratamentos eficazes para seu posterior descarte no ambiente. Os tratamentos convencionais utilizados muitas vezes não são eficientes para remover a toxicidade deste tipo de resíduo, sendo necessário o desenvolvimento e padronização de tratamentos alternativos. Dentro deste contexto, destacam-se os processos oxidativos avançados (POAs), como fotocatálise, fotoeletrocatálise, ozonização e ozonização fotoeletrocatalítica, e tratamento com matérias adsorventes como a vermiculita magnetizada (VMT-mag), técnicas utilizadas neste trabalho para tratamento da AP. Desta forma, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficiência destes tratamentos na redução da toxicidade induzida por duas amostras de AP, identificadas como água de petróleo 1 (AP1) e água de petróleo 2 (AP2), em organismos aquáticos. A amostra AP1 foi tratada por meio de POAs (fotocatálise, fotoeletrocatálise, ozonização e ozonização fotoeletrocatalítica) e avaliada a toxicidade antes e após os tratamentos através dos organismos Danio rerio (zebrafish), Daphnia similis e Vibrio fischeri. A amostra AP2 foi tratada com VMT-mag e avaliada a toxicidade antes e após o tratamento com os organismos Vibrio fischeri, Daphnia similis, Daphnia magna, Chironomus riparius e Dugesia tigrina. As seguintes técnicas foram empregadas aos organismos: com o Danio rerio foi aplicado a técnica Embryo Acute Toxicity (FET) e avaliada a letalidade e subletalidade em estágios embrio-larvais; com a Daphnia similis e Vibrio fischeri teste de toxicidade aguda; com a Daphnia magna efeitos sobre reprodução e taxa intrínseca de crescimento populacional (r); com o Chironomus riparius avaliação da mortalidade, crescimento e emergência; com a Dugesia tigrina a avaliação da mortalidade, locomoção, alimentação e regeneração apos decapitação. Nossos testes indicam toxicidade para todos os organismos avaliados: efeitos (mortalidade, escoliose, falha na inflação da bexiga natatória) no estágio embio-larval de Danio rerio; toxicidade aguda aos organismos Daphnia similis e Vibrio fischeri; efeitos sobre a emergência dos organismos machos e fêmeas de Chironomus riparius, redução no tamanho das cabeças e corpo das larvas na amostra sem tratamento; além de efeitos comportamentais sobre a atividade locomotora e regeneração da cabeça das planárias Dugesia tigrina expostas à AP sem tratamento; efeitos sobre a reprodução e taxa intrínseca de crescimento populacional (r) dos microcrustáceos Daphnia magna com maior intensidade à amostra não tratada. Este estudo revela uma redução da toxicidade da AP tratada, demonstrando a importância de seu tratamento para o descarte em ambientes aquáticos. Nossos dados mostram que a exposição de diferentes organismos à AP afeta parâmetros letais e subletais e, por isso, devem ser tratadas antes do lançamento em corpos d\'água. Adicionalmente, nossos dados mostram que so tratamentos propostos devem ser aprimorados, a fim de atingir a eficiência na remoção de todos os efeitos testados. (AU)

Processo FAPESP: 18/01010-3 - Avaliação da eficiência do tratamento por processos oxidativos avançados (POAs) na remoção/redução da toxicidade induzida em organismos aquáticos por água residuária produzida por indústrias petrolíferas
Beneficiário:Taís Suelen Viana
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado