Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito da mudança do uso da terra e do abandono do solo em comunidades microbianas na Amazônia Oriental

Texto completo
Autor(es):
Alexandre Pedrinho
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Piracicaba.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA/STB)
Data de defesa:
Membros da banca:
Tsai Siu Mui; Rodrigo Mendes; Jackson Antonio Marcondes de Souza
Orientador: Tsai Siu Mui
Resumo

As mudanças no uso da terra ameaçam a biodiversidade do solo na região Amazônica. Nos últimos 40 anos, a Floresta Amazônica perdeu grande parte da sua cobertura. Áreas de floresta nativa vêm sendo convertidas em pastagem através do corte e queima da vegetação natural, causando perdas irreversíveis de plantas e animais. No entanto, o impacto da mudança do uso da terra na comunidade microbiana do solo e no funcionamento do ecossistema ainda é pouco compreendido. Neste trabalho, temos como hipótese que a mudança no uso da terra na região Amazônica afeta as propriedades físico-químicas do solo e, consequentemente, a composição e as funções dos microorganismos. Utilizamos a técnica de sequenciamento do DNA metagenômico para avaliar as comunidades microbianas de três usos da terra, floresta primária, pastagem e floresta secundária na região Amazônica nas estações seca e úmida. Nossos dados mostraram que a comunidade microbiana foi influenciada pelas alterações nas propriedades do solo, com saturação por Al, Al, capacidade de retenção de água e pH significativamente correlacionados com a estrutura geral da comunidade e com a maioria dos filos microbianos. A pastagem foi a área mais distinta e apresentou a maior diversidade taxonômica e funcional em comparação as áreas de floresta. Mudanças taxonômicas foram acompanhadas por mudanças funcionais na comunidade, com pastagem apresentando alta abundância de sequências relacionadas ao metabolismo dos carboidratos e resposta ao estresse; solo de floresta primária apresentou um alto número de seqüências relacionadas ao metabolismo de nitrogênio; enquanto o solo da floresta secundária apresentou alta abundância genes relacionados à respiração e ao metabolismo do enxofre. Embora as estruturas taxonômicas fossem muito distintas entre os três locais, observamos uma recuperação do perfil funcional na floresta secundária após o abandono da pastagem. Esta observação foi evidenciada pela análise de network, onde as duas florestais apresentaram grupos de microorganismos semelhantes dominando as principais correlações (AU)

Processo FAPESP: 17/02635-4 - Microcosmos e a atividade da microbiota do ciclo do metano e n (N2O) sob a influência da umidade em solos da Amazônia Oriental
Beneficiário:Alexandre Pedrinho
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado