Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito de soluções de primers experimentais à base de flavonóides na resistência de união à dentina e na morfologia da área de união dentina-adesivo

Texto completo
Autor(es):
Beatriz Ometto Sahadi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Piracicaba, SP.
Instituição: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Odontologia de Piracicaba
Data de defesa:
Membros da banca:
Marcelo Giannini; Mário Alexandre Coelho Sinhoreti; Victor Pinheiro Feitosa
Orientador: Marcelo Giannini
Resumo

A degradação das fibrilas colágenas é uma das causas de falhas da adesão. Alguns compostos têm sido sugeridos para serem aplicados previamente aos adesivos ou incorporados a eles. O objetivo desse estudo in vitro foi avaliar o efeito de quatro soluções de primers experimentais na resistência de união à dentina por microtração, após 24 horas e um ano de armazenamento em saliva artificial, e na morfologia da área de união dentina-adesivo. Dois diferentes flavonóides foram diluídos em álcool absoluto: Kaempferol (Ka) e Naringina (Na) em diferentes concentrações (10 mM e 20 mM), obtendo quatro soluções de primers. Os primers foram aplicados por 30 ou 60 segundos em dentina previamente condicionada com ácido fosfórico a 35%, seguido à aplicação de um sistema adesivo convencional de dois passos (Optibond S, Kerr). No grupo Controle Negativo (CN) não houve aplicação de nenhum primer previamente à aplicação do adesivo e no grupo Controle Positivo (CP) foi usado solução de Digluconato de Clorexidina 0,2% por 30 ou 60 segundos. Oitenta e oito terceiros molares humanos foram distribuídos, aleatoriamente, em onze grupos (n=8), de acordo com o tipo, concentração e tempo de aplicação dos primers para o ensaio de resistência à união (RU). Os dentes foram restaurados de acordo com cada grupo e seccionados nas direções mesial-distal e vestíbulo-lingual, obtendo-se espécimes no formato de "paralelepípedos". Metade dos espécimes foram submetidos ao ensaio de RU após 24 horas, enquanto a outra metade foi armazenada a 37º em solução de saliva artificial por um tempo de um ano e testada. Para a análise da morfologia da área de união dentina-adesivo, quarenta e quatro dentes (n=4) foram restaurados seguindo a mesma metodologia do ensaio de RU, porém, no adesivo foi adicionado o corante Rodamina B na concentração 0,1% em peso. Após 24 horas, os dentes foram seccionados em fatias de 1 mm de espessura. As fatias foram polidas e analisadas em Microscopia Confocal de Varredura a Laser (MCVL). Os dados de RU foram avaliados quanto à distribuição e homoscedasticidade, seguidas por análises estatísticas apropriadas (?=0,05). Em relação aos resultados do ensaio de RU, não foi encontrada diferença estatística entre os grupos experimentais e o CN em 24 horas. No entanto, os primers experimentais contendo 20 mM Na, 10 e 20 mM Ka, aplicados por 60 segundos na dentina, apresentaram maiores valores de RU em relação ao CN e CP após um ano. Formação de camada híbrida e penetração do adesivo nos túbulos dentinários foram observadas em todos os grupos. A aplicação de todos os primers experimentais à base de flavonóides em dentina por 60 segundos foi capaz de aumentar a RU em comparação ao CN após um ano de envelhecimento artificial (AU)

Processo FAPESP: 19/14973-7 - Avaliação in vitro dos efeitos de primers experimentais na união dentina-adesivo e na inibição de metaloproteinases da matriz dentinária
Beneficiário:Beatriz Ometto Sahadi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado