Busca avançada
Ano de início
Entree


Densidade populacional e seleção de habitat pelo mutum-do-sudeste, Crax blumenbachii, na Reserva Natural Vale, Linhares, Espírito Santo

Texto completo
Autor(es):
Fernanda Alves de Amorim
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências (IBIOC/SB)
Data de defesa:
Membros da banca:
Luis Fábio Silveira; Christine Steiner São Bernardo; Leonardo Liberali Wedekin
Orientador: Luis Fábio Silveira
Resumo

O mutum-do-sudeste é endêmico da Mata Atlântica de baixada e foi extinto de quase toda sua distribuição original devido ao desmatamento e a caça. Hoje é listado como ameaçado e a falta de conhecimento sobre sua ecologia dificulta o manejo da espécie. Este trabalho teve como objetivo estimar a densidade populacional do mutum-do-sudeste na Reserva Natural Vale (RNV) através do método de transecção linear. Os registros feitos durante as amostragens também foram utilizados para verificar a existência de seleção de habitat por meio da comparação de áreas onde a espécie foi registrada com áreas aleatórias onde nunca obtivemos registros. A estimativa populacional obtida mostrou a existência de uma razão sexual desviada em relação aos machos que parecia estar relacionada a diferenças de comportamento entre os sexos, devido aos poucos registros de fêmeas. Para confirmar nossos resultados, utilizamos dados de armadilhas fotográficas que foram utilizadas para estudar onças na reserva. Estes dados confirmaram um número maior de machos na população, porém menos acentuado do que o encontrado nos transectos, comprovando que o comportamento discreto das fêmeas afetou nossa amostragem. Combinando os dados dos dois métodos obtivemos a estimativa de 1.6 indivíduos/Km2. As análises de seleção de habitat confirmaram a relação positiva do mutum-do-sudeste com matas altas e sub-bosque denso, e mostraram que o mutum-do-sudeste tem menor probabilidade de ocorrência em áreas com abundância de árvores mortas em pé, troncos em decomposição e serapilheira profunda. Tal influencia negativa provavelmente se deve a aspectos relacionados à sua dieta e a baixa tolerância a habitats que sofreram distúrbio. As informações contidas neste trabalho servirão de base para guiar o manejo de populações selvagens e futuros projetos de reintrodução. Além disso, estudos futuros devem considerar as diferenças de comportamento entre os sexos para que os dados sejam analisados de forma correta, evitando assim, erros que podem afetar diretamente o manejo da espécie. (AU)

Processo FAPESP: 12/08265-0 - Densidade populacional, organização social e seleção de habitat pelo mutum-do-sudeste Crax blumenbachii na Reserva Natural Vale, Linhares,Espírito Santo
Beneficiário:Fernanda Alves de Amorim
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado