Busca avançada
Ano de início
Entree

Analise da expressao diferencial de genes em celulas de carcinoma de mama er+/er-.

Processo: 99/06479-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 1999
Vigência (Término): 31 de outubro de 2003
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Nagai
Beneficiário:Nancy da Ros
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Laminina   Neoplasias mamárias

Resumo

O processo de tumorigênese é resultado do acúmulo de alterações genéticas, que permitem que a célula tumoral apresente disfunções no controle do crescimento, diferenciação e interações com o microambiente. Essas alterações ocorrem principalmente em três classes de genes: os oncogenes, genes supressores de tumor e o genes de reparo de DNA. O carcinoma de mama é o câncer mais comum e a causa mortis mais freqüente entre as mulheres. Apresenta uma etiologia complexa envolvendo fatores exógenos e endógenos. Estudos experimentais, clínicos e épidemiológicos indicam que os hormônios esteroídicos, principalmente o estrógeno, apresentam um papel importante na etiologia do câncer de mama. O estrógeno influencia muitas respostas fisiológicas, possuindo um efeito fundamental na proliferação e diferenciação de tecidos hormônio-responsivos. As interações entre as células e a matriz extracelular (ECM) iniciam um fluxo de informações que atuam na regulação de muitos processos fundamentais durante o desenvolvimento. Na glândula mamária, células em contato com a ECM recebem informações que contribuem para o fenótipo diferenciado através da regulação da transcrição de genes específicos ao tecido. O comportamento celular é controlado, portanto, por uma rede de sinais provenientes de fatores de crescimento e diferenciação, bem como do ambiente no qual a célula está localizada. Estes sinais podem levar a expressão diferenciada de determinados genes, levando a alterações no fenótipo. Através das técnicas de DDRT-PCR (differential display reverse transcriptase-PCR) e microarray, este trabalho visa identificar os genes diferencialmente expressos após tratamentos com estradiol e laminina, em células de adenocarcinoma de mama com fenótipos diferentes para o receptor de estrógeno (ER), ou seja, células ER+, células ER- e células ER- transfectadas com o receptor. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)