Busca avançada
Ano de início
Entree

Resposta de frações cromatográficas da matéria orgânica do solo a diferentes sistemas de preparo do solo: avaliações espectroscópicas e de microscopia

Processo: 97/10037-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 1998
Vigência (Término): 31 de outubro de 2001
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Ladislau Martin Neto
Beneficiário:Etelvino Henrique Novotny
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil

Resumo

A necessidade de preservação ambiental tem sido enfatizada em diversas esferas de discussão e sua importância é inquestionável. A conservação do solo, adotando-se práticas que reduzam as perdas de solo por erosão hídrica e eólica, é louvável e de extrema necessidade. Neste sentido o plantio direto (PD), além de minimizar as perdas de solo, proporciona produtividades compatíveis com a crescente demanda alimentar da população e pode vir a reduzir também as perdas de matéria orgânica do solo minimizando a emissão de CO2 à atmosfera. A adoção de práticas conservacionistas, como o plantio direto, aproxima o agro-ecossistema da condição original e ideal que é o ecossistema natural, onde a ciclagem dos elementos e a participação da matéria orgânica do solo (MOS) é decisiva para a sustentabilidade do sistema. A enorme diversidade de materiais que dão origem a MOS e a diversidade de condições ambientais, que são preponderantes na sua formação, levam à geração de um conjunto de compostos extremamente heterogêneo em composição e logo nas suas propriedades químicas e físicas. Diversos fatores de produção agrícola são controlados pela MOS e logo sofrem a mesma variabilidade desta sendo de difícil quantificação e previsão. A importância da MOS é tal que hoje já se pode considerá-la como um insumo essencial à produção agrícola. Cabe ressaltar que a agronomia, e em especial a ciência do solo, tem-se baseado em grande parte, em resultados experimentais e semi-empíricos de difícil generalização. Assim há a necessidade de trabalhos que priorizem o entendimento dos conceitos básicos que regem o comportamento dos fatores de produção. Uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos cientistas de solos para o estudo do húmus é a necessidade da sua extração do solo, o que pode levar à alterações do material isolado. A procura do extrator ideal ainda está longe de se concluir, porém avanços na área de instrumentação e métodos analíticos têm possibilitado o estudo do húmus "in situ", ou seja, sem a necessidade de isolá-lo dos constituintes minerais do solo. Mesmo assim na maioria dos casos ainda há a ' necessidade de estudar-se o húmus isoladamente, e de preferência devidamente fracionado em grupos o mais homogêneo possível. Baseado no exposto pretende-se quantificar e caracterizar a MOS, mais especificamente as substâncias húmicas (SH), por técnicas espectroscópicas como NMR, EPR, FTIR UV-Vis e por microscopia de força atômica, em caráter comparativo entre os sistemas em estudo, utilizando-se método de extração e fracionamento da MOS recentemente desenvolvido (NOVOTNY, et al. 1997b) e também comparando com procedimentos químicos e físicos já estabelecidos (MARTIN-NETO et al., 1994a,b). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NOVOTNY‚ E.H.; KNICKER‚ H.; COLNAGO‚ L.A.; MARTIN-NETO‚ L. Effect of residual vanadyl on the spectroscopic analysis of humic acids. Organic Geochemistry, v. 37, n. 11, p. 1562-1572, 2006.
NOVOTNY‚ E.H.; MARTIN-NETO‚ L. Effects of humidity and metal ions on the free radicals analysis of peat humus. Geoderma, v. 106, n. 3, p. 305-317, 2002.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.