Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial antioxidante dos extratos de plantas medicinais utilizadas na medicina folclórica da região do Vale do Paranapanema-SP

Processo: 09/51209-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2009
Vigência (Término): 31 de maio de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Pesquisador responsável:Regildo Márcio Gonçalves da Silva
Beneficiário:Egon Akira Kobayashi
Instituição Sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Farmacognosia   Fitoquímica   Antioxidantes   Antineoplásicos   Plantas medicinais   Copaifera langsdorffii   Pyrostegia venusta
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Antioxidantes | Dpph | Efeito Quelante | Farmacognosia | Fitoquimica | Plantas Medicinais

Resumo

Temas como biodiversidade e plantas medicinais são amplamente discutidos nos meios de comunicação, em virtude de sua relevância e do seu caráter estratégico, especialmente em países considerados emergentes, como o Brasil. As plantas medicinais têm sido utilizadas tradicionalmente para o tratamento de várias enfermidades e sua aplicação é vasta e abrange desde o combate ao câncer até os microrganismos patogênicos. As plantas, além de seu uso na medicina popular com finalidades terapêuticas, têm contribuído, ao longo dos anos, para a obtenção de vários fármacos. A potencialidade das plantas medicinais para o desenvolvimento de fármacos e matérias-primas farmacêuticas fundamenta-se no tripé biodiversidade, aceitabilidade e mercado econômico. Dentre os principais componentes terapêuticos obtidos de plantas destacam-se os compostos fenólicos, e dentro destes os flavonóides, que são encontrados em todas os órgãos vegetais. Estes compostos desempenham importante papel na saúde humana devido as suas propriedades farmacológicas antitumoral, anti-inflamatória, antimicrobiana, entre outras, sendo que a propriedade de maior interesse atualmente é a sua atividade antioxidante. Sendo assim o estudo da atividade antioxidante e antitumoral dos extratos de Pyrostegia venusta, Kielmeyera coriacea e Copaifera langsdorffi justificam-se pela possibilidade de elucidação dos componentes bioativos, assim com a possível confirmação científica da ação terapêutica relatada na medicina folclórica regional. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)