Busca avançada
Ano de início
Entree

Rastreamento de genotoxicidade de antimutagenese de frações semipurificadas extraídas de Pterogyne nitens utilizando o ensaio do micronúcleo em Tradescantia pallida

Processo: 06/60891-2
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2007
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Christiane Pienna Soares
Beneficiário:Fernanda Gargantini Ferreira
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:04/07932-7 - Busca de compostos naturais antitumorais, antioxidantes, antiinflamatórios, antidiabéticos, inibidores de acetilcolinesterase e mieloperoxidase no Cerrado e na Mata Atlântica, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Extratos vegetais   Tradescantia pallida   Genotoxicidade   Testes de mutagenicidade
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Antimutagenicidade | Extratos Vegetais | Mutagenicidade | Tradescantia Pallida

Resumo

As plantas possuem produtos biologicamente ativos responsáveis pela sua atividade farmacológica ou toxicidade. Em busca da investigação de novas drogas, ensaios de genotoxicidade tornam-se cada vez mais necessários. Em contrapartida, a procura de compostos com atividade antimutagênica são necessárias, para a proteção dos seres humanos expostos continuamente a agentes mutagênicos ambientais, alimentícios, entre outros. A Pterogynenitens pertencente à família Leguminosae-Caesalpioideae é uma dessas espécies que pouco se sabe sobre seu valor medicinal, potencial genotóxico e antimutagênico. A avaliação do potencial genotóxico e antimutagênico das frações semipurificadas de P. nitens será realizada através do ensaio de micronúcleos em Tradescantia pallida. Este teste possui alta sensibilidade a agentes tóxicos e baseia-se na análise de micronúcleos resultantes da quebra de cromossomos em células-mãe meióticas de grão de pólen. Para testar a genotoxicidade, hastes de T. pallida são coletadas, para os grupos teste (frações semipurificadas de P. nitens em diferentes concentrações) e controles (positivo, negativo e de veículo). As frações que não forem genotóxicas serão avaliadas para o seu potencial efeito antimutagênico, utilizando ensaio de proteção com as frações e submetendo as inflorescências de T.pallida a um agente sabidamente indutor de quebra de DNA (formol 10000 ppm). Esse ensaio será acompanhado de controles positivo, negativo e de veículo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)