Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de maternidade de progênies da espécie florestal Copaifera langsdorffii Desf. conservadas no banco de germoplasma da USP/RP, utilizando marcadores microssatélites

Processo: 06/04040-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2006
Vigência (Término): 31 de março de 2007
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Pesquisador responsável:Ana Lilia Alzate Marin
Beneficiário:Marcelo Luís Lombardi Martinez
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Biodiversidade   Conservação da biodiversidade   Restauração ecológica   Reflorestamento   Produção de mudas   Banco de sementes   Repetições de microssatélites   Copaifera langsdorffii   Ribeirão Preto (SP)

Resumo

A conservação da biodiversidade representa um dos maiores desafios deste final de século, em função do elevado nível de perturbações antrópicas dos ecossistemas naturais. O maior impacto da fragmentação florestal é a perda da biodiversidade regional, e quanto mais fragmentadas e perturbadas as paisagens, maiores são os desafios para essa conservação (Viana, 1995). A região de Ribeirão Preto é uma das mais devastadas do Estado de São Paulo, principalmente nas regiões próximas aos mananciais e indústrias de cana-de-açúcar, restando somente pequenas manchas de cerrado, cerradão e floresta mesófila semidecídua. O início do desmatamento na região coincide com a formação das primeiras fazendas de café do século 19 e prosseguiu com a produção de álcool e açúcar, além de carvão. Com o objetivo de produção de mudas de espécies nativas da região e a criação de um centro de referência e fomento florestal para promover a recuperação de áreas degradadas dos arredores da cidade, foi iniciado, no ano de 1997, o Projeto Floresta da USP, que está sendo povoada com espécies nativas da Mata Atlântica. Depois de totalmente formada, a floresta deve contribuir com 20% a mais no índice de arborização da cidade de Ribeirão Preto. Da área total, 30 ha correspondem à área de reflorestamento heterogêneo e 45 ao Banco de Germoplasma (BG-USP/RP), que conta com 44 espécies vegetais da Mata Estacional Semidecidual, dentre elas a Copaifera langsdorffii Desf. (óleo de copaíba). Na formação dos bancos de germoplasma, as progênies podem ser erroneamente identificadas comprometendo a sua correta procedência, característica de extrema importância, tanto comercial, para a certificação de lotes de sementes e programas de melhoramento, como ecológica, no auxílio de tomada de decisões acerca das futuras mudas que serão distribuídas para o processo de reflorestamento em diversas áreas. Assim, o presente projeto tem o objetivo de confirmar a maternidade de uma população de progênies de C. langsdorffii que está sendo conservada nesse Banco, utilizando marcadores moleculares microssatélites, considerados uma poderosa ferramenta molecular para análises de parentesco. A correta identificação das progênies de C. langsdorffii do banco garantirá efetivamente a origem das sementes, informações que aliadas a prévias de estrutura genética serão a base para futuros programas de reflorestamento junto às unidades rurais da região e do Estado, objetivo estratégico do projeto de implantação do Banco de Germoplasma.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)