Busca avançada
Ano de início
Entree

Anestesia intravenosa versus inalatória em idosos operados na FMB entre 1990 e 2009. Complicações anestésicas intra-operatórias e na sala de recuperação.

Processo: 10/12045-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Yara Marcondes Machado Castiglia
Beneficiário:Fernando Henrique Ramos Amorim
Instituição Sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Anestesiologia   Idosos   Anestesia endovenosa   Anestesia por inalação
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:anestesia inalatória | Anestesia Intravenosa | Complicações anestésicas | idoso | Intra-operatório | Srpa | Anestesiologia

Resumo

O uso de anestesia intravenosa total proporciona bons resultados em relação aos efeitos colaterais, principalmente náuseas e vômitos pós-operatórios, mas seus custos totais podem ser maiores quando comparados aos de anestesia inalatória. Com relação a todos os outros aspectos, como, por exemplo, complicações intra- e pós-operatórias, a maioria dos trabalhos não demonstra diferenças entre os métodos anestésicos ou não consegue força estatística para tal conclusão. Sendo assim, e ponderando que a maioria dos trabalhos refere-se a tipos muito específicos de cirurgia e sem uma separação etária da amostra populacional estudada, torna-se relevante a proposta de realizar estudo retrospectivo em pacientes idosos operados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, UNESP, entre 1990-2009. Segundo a Organização Mundial de Saúde, em países como o Brasil, idosos são aqueles indivíduos acima de 60 anos. Será comparada, em pacientes com idade acima de 60 anos, a estratégia anestésica intravenosa com a inalatória em relação à nota de admissão dos pacientes na Sala de Recuperação Pós-Anestésica e nota de alta da mesma (por meio de método quantitativo), ao tempo de recuperação e às complicações intra e pós-operatórias.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)