Busca avançada
Ano de início
Entree

Origem anatômica e bioquímica da bioluminescência em larvas de Elateroidea: expressão de luciferina e luciferase nas lanterans e corpo gorduroso e clonagem das isozimas de luciferases

Processo: 09/06645-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Radiologia e Fotobiologia
Pesquisador responsável:Vadim Viviani
Beneficiário:Paulo Newton Tonolli
Instituição-sede: Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Campus de Sorocaba. Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Anatomia animal   Bioquímica animal   Bioluminescência   Luciferases   Lampyridae   Larva

Resumo

Recentemente demonstramos que o corpo gorduroso de larvas de vagalumes lampirídeos produz baixo nível de bioluminescência, expressando luciferina e luciferase, demonstrando uma conexão entre as lanternas e este tecido. A origem e evolução da bioluminescência em Elateroidea ainda permanece obscura e não está claro se este processo se originou apenas uma vez em um ancestral comum a todos os Elateroidea, sendo perdido subsequentemente em vários grupos, ou se surgiu independentemente várias vezes em diferentes grupos a partir de ancestrais com potencial para bioluminescência. Uma análise comparativa da origem bioquímica, celular e histológica da bioluminescência nas lanternas e no corpo gorduroso em larvas das três famílias poderá ajudar a melhor compreender a origem anatômica e metabólica da bioluminescência nestas famílias, e se a bioluminescência tem uma origem em comum nas três famílias. O projeto tem como objetivos continuar a análise comparativa da origem bioquímica e anatômica da bioluminescência em larvas de Elateroidea, iniciada por nosso grupo com as larvas de Aspisoma lineatum (Lampyridae) (Viviani et al., 2008). Será investigada a expressão de luciferase e luciferina no corpo gorduroso e lanternas de algumas espécies-alvo da família Lampyridae (Aspisoma lineatum) e Elateridae (Pyrearinus termitilluminans), analisada a distribuição subcelular de luciferina, e clonadas as luciferases do corpo gorduroso e das lanternas de larvas de Aspsioma lineatum.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)