Busca avançada
Ano de início
Entree

Médicos Pediatras e Médicos do Programa de Saúde da Família: possíveis diferenças na identificação e notificação dos maus-tratos contra crianças e adolescentes.

Processo: 10/00037-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Tratamento e Prevenção Psicológica
Pesquisador responsável:Rachel de Faria Brino
Beneficiário:Lívia Maria Bolsoni
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Violência   Programa Saúde da Família   Saúde pública

Resumo

A violência constitui atualmente um dos mais graves problemas de saúde pública e está incluída, desde 1998, na Classificação Internacional de Doenças (CID) da Organização Mundial de Saúde (OMS) sob a denominação "Causas Externas". Os maus tratos contra crianças e adolescentes receberam uma maior atenção quando o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA, lei federal n.º69/90), resgatou o sentido de cidadania da criança através da doutrina da proteção integral, tornando obrigatória a notificação de casos suspeitos ou confirmados de maus-tratos contra criança ou adolescente. Os profissionais de saúde passaram a ter o dever de notificação previsto em lei. Diante da lacuna na notificação e da necessidade de compreender estes abusos de uma forma abrangente como esclarecendo todos os aspectos acima, e da dificuldade descrita em notificar os maus tratos por profissionais de saúde, principalmente por médicos pediatras, os quais possuem um maior contato com esta população devido a maior frequência dos abusos nesta faixa etária, o presente estudo tem por objetivo fazer um levantamento, caracterizando as dificuldades enfrentadas pelo médico do Programa de Saúde da Família diante da identificação e notificação dos casos de suspeita de maus tratos e também uma comparação dessas dificuldades com as descritas na literatura. Participarão do estudo 15 profissionais do Programa de Saúde da Família. O estudo será realizado por meio de um questionário. Após a devolutiva dos questionários, as falas dos profissionais serão categorizadas para uma análise qualitativa de conteúdo. Palavras chave: violência; saúde pública; maus tratos; programa de saúde da família.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)