Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento embrionário do jundiá Rhamdia quelen (Quoy & Gaimard, 1824)

Processo: 07/05304-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2008
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2008
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Embriologia
Pesquisador responsável:Alexandre Ninhaus Silveira
Beneficiário:Isangela Rodrigues de Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Assunto(s):Peixes   Reprodução animal   Embriogênese animal   Morfologia animal

Resumo

Jundiá é o nome comum dado aos peixes pertencentes ao gênero Rhamdia, cuja classificação é confusa desde que foi descrita. Atualmente ele se encontra na ordem dos Siluriformes, representantes da família Heptapteridae. A espécie a ser estudada neste trabalho é Rhamdia quelen, que tem sua distribuição na região central da Argentina, região sudeste do Brasil e em todo o Uruguai. Seu período reprodutivo é de agosto a março. É um peixe onívoro, habita locais calmos e profundos dos rios. Por ser de comportamento migratório, as barragens e represas afetam significativamente o seu ciclo de vida. Para o desenvolvimento deste experimento os embriões serão coletados no Setor de Aquicultura, do Departamento de Produção Animal da UNESP\Campus de Botucatu. A reprodução será feita através de indução hormonal das fêmeas, utilizando-se extrato bruto de hipófises de carpa. Após a fecundação os embriões serão colocados em incubadoras verticais. As coletas serão realizadas desde o momento da fertilização de 15 em 15 minutos nas primeiras duas horas do desenvolvimento embrionário. Após serão coletados de hora em hora até a eclosão das larvas. Os embriões de R. quelen serão fixados em uma solução de glutaraldeído 2%, paraformaldeído 4%, em tampão fosfato de sódio 0,1M, pH 7,3. Para serem analisados e fotografados "in toto"; sob estereomicroscopia, os embriões pré-fixados serão corados em hematoxilina de Harris-eosina. Para o estudo de sua estrutura durante seu desenvolvimento, amostras de embriões serão selecionadas em cada fase, incluídos em historesina, submetidos à microtomia para a obtenção de cortes histológicos, que serão corados com hematoxilina de Harris-eosina, analisados e fotomicrografados sob microscópio de luz. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)