Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação integrada da especiação de mercúrio e composição de biofilmes do rio Tapajós

Processo: 23/15925-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 29 de julho de 2024
Vigência (Término): 28 de julho de 2025
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Bruno Lemos Batista
Beneficiário:Tatiana Pedron
Supervisor: Vera Slaveykova-Startcheva
Instituição Sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Local de pesquisa: Université de Genève, Suíça  
Vinculado à bolsa:21/05186-1 - Biodisponibilidade in vivo de Hg e Se e sua interação antagônica no plasma sanguíneo, urina e cabelo através da ingestão de peixes amazônicos e castanha-do-Pará por comunidades ribeirinhas da região amazônica, BP.PD
Assunto(s):Sedimentos   Água   Química ambiental
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:amplicon sequencing | biofilm composition | Methylmercury | sediments | speciation | water | Química Ambiental

Resumo

Como resultado das atividades antropogénicas, o Hg apresenta desafios específicos não só em termos de exposição humana, mas também em termos de gestão ambiental. Isto se deve à bioacumulação, biomagnificação e toxicidade do Hg. A dispersão do Hg é independente do local de emissão, tornando-se um problema global. Os biofilmes desempenham um papel importante na bioacumulação, bioamplificação e toxicidade do Hg, contribuindo para a sua incorporação nas cadeias alimentares de água doce. No entanto, a cinética de acumulação de Hg pelos biofilmes é pouco descrita e compreendida. Nesse sentido, o estudo tem como objetivo avaliar a contaminação por Hg e seu impacto ambiental na região Amazônica devido à mineração por meio da determinação de THg e suas espécies (IHg e MeHg) na água e no biofilme obtido do rio Tapajós. Em particular, a caracterização do biofilme irá esclarecer o impacto do MeHg na biota (algas, bactérias e fungos). A metilação do mercúrio é mediada por microrganismos, mas pouco se sabe sobre os potenciais mecanismos microbianos para a desintoxicação do mercúrio. Utilizaremos biofilmes para identificar indicadores microbianos de poluição por Hg e analisaremos a distribuição de genes envolvidos na redução de Hg (merA) e desmetilação (merB). Os genes envolvidos no processo de metilação (hgcAB) também serão determinados. Esses ensaios têm implicações diretas e importantes para a compreensão da transformação do Hg e sua biodisponibilidade no ecossistema fluvial, monitorando o Hg local e ampliando o conhecimento global sobre a diversidade de associações de microrganismos em ambientes aquáticos que contribuem para a formação de MeHg e sua biomagnificação.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)