Busca avançada
Ano de início
Entree

Mudanças na ventilação e acúmulo de carbono em profundidades médias do Atlântico equatorial durante o último ciclo glacial-interglacial

Processo: 23/17460-6
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2024
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2025
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Cristiano Mazur Chiessi
Beneficiário:Jaqueline Teixeira Alves
Instituição Sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/15123-4 - Perspectivas pretéritas sobre limiares críticos do sistema climático: a Floresta Amazônica e a célula de revolvimento meridional do Atlântico (PPTEAM), AP.PFPMCG.JP2
Assunto(s):Foraminifera   Mudança climática   Oceano Atlântico   Quaternário   Mudanças ambientais
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Foraminíferos | Isótopos estáveis de carbono | Mudanças Climáticas | Oceano Atlântico | Quaternário | Mudanças ambientais

Resumo

As mudanças na circulação da Célula de Revolvimento Meridional do Atlântico (CRMA) desempenham um papel importante no ciclo do carbono global. Durante eventos milenares (denominados Heinrich Stadials) ocorridos no último ciclo glacial-interglacial, a redução da ventilação e o aumento do armazenamento de CO2 em profundidades médias do Atlântico ocorreram em decorrência à desintensificação da CRMA. Estas mudanças da circulação, comumente reconstituídas pela composição de isótopos estáveis de carbono (d13C) em foraminíferos epibênticos, mostram que excursões rápidas e negativas de d13C nas profundidades médias do Atlântico foram atribuídas ao aumento de nutrientes remineralizados ricos em 12C. A comparação dos distintos eventos de excursões negativas de d13C entre reconstituições no Atlântico pode tornar possível uma compreensão ampla da magnitude da redução na ventilação e aumento no acúmulo de carbono em profundidades médias. Apesar da existência de registros da evolução da circulação em profundidades médias do Atlântico equatorial e Sul fundamentados em análises de d13C, é notável a escassez de registros marinhos com resolução temporal adequada para abordar todos os eventos milenares de redução da ventilação que ocorreram durante o último ciclo glacial-interglacial. Este projeto de Iniciação Científica irá estudar as mudanças na circulação da circulação em profundidades médias do Atlântico equatorial durante os últimos 150 mil anos. Para tal, serão geradas séries temporais de d13C de foraminíferos epibênticos em testemunhos marinhos coletados no Atlântico equatorial.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)