Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do impacto da ausência da enzima epoxi hidrolase solúvel em tecido gengival de camundongos na senescência.

Processo: 23/12079-2
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2024
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Henrique Ballassini Abdalla
Beneficiário:Gisele Barreto de Freitas
Instituição Sede: Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic. Faculdade São Leopoldo Mandic (SLMANDIC). Sociedade Regional de Ensino e Saúde S/S Ltda (SRES). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Inflamação   Envelhecimento
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Epoxi hidrolase solúvel | Inflamação | Osteoimunologia | Senescência | Osteoimunologia, inflamação, senescência, periodonto

Resumo

A prevalência e a gravidade da periodontite aumentam com o envelhecimento. As razões para o aumento da perda óssea relacionado à idade na doença periodontal ainda não são totalmente compreendidas, e pouco explorados. Hipotetiza-se que, mudanças na suscetibilidade à periodontite com a idade podem ser explicada pela exposição a condições pró-inflamatórias, bem como a incapacidade de cura celular e regeneração tecidual. Os eicosanóides, um grupo de mediadores lipídicos (LMs), são derivados oxidados do metabolismo do ácido araquidônico (ARA) por vias oxidativas, as enzimas ciclooxigenase (COX), lipoxigenase (LOX) ou citocromo P450 (CYP450). As moléculas bioativas resultantes, são amplamente produzidas na inflamação, com funções biológicas distintas. Embora muito se saiba sobre o metabolismo dos ácidos graxos poliinsaturados (PUFAs) derivados do ômega-3 pelas vias enzimáticas COX e LOX, a via do CYP450 é menos compreendida e pouco explorada. Particularmente, os epóxidos de ácidos graxos poliinsaturados de cadeia longa (EpFA) gerados pela via CYP450, são importante lipídios bioativos com ações imunomoduladoras na inflamação. A maioria desses LMs tem vida curta devido à sua rápida metabolização em dióis inativos na presença da enzima epóxi hidrolase solúvel (sEH), perdendo sua capacidade de resolver a inflamação. Dentro deste contexto, o presente projeto vislumbra investigar o impacto da ausência da enzima sEH nos níveis e parâmetros ósseos, bem como avaliar os parâmetros inflamatórios relacionados ao envelhecimento do tecido gengival, em modelo in vivo de senescência. Para isto, camundongos C57BL/6 (wild-type) e camundongos sEH-/- [knockout (KO)], jovens e idosos, igualmente distribuídos entre machos e fêmeas, serão induzidos ao protocolo de senescência. O protocolo considera os animais jovens com 3 meses de vida, e os animais senescentes com 20 meses de vida. Amostras do tecido gengival, maxila e mandíbula serão coletadas ao final de cada protocolo. A perda óssea alveolar será mensurada através da colocaração de azul de metileno e por microtomografia computadorizada (¼CT). Ainda, será avaliado a expressão gênica dos mediadores osteolítico inflamatório, Rankl, Tnf±, Il1², Il6, Il17a e Mmp2, bem como a de marcadores da senescência celular, Cdkn1a (p21), Cdkn2a (p16), Tp53 e Glb1 (beta-galactosidase). Espera-se, por meio deste estudo, elucidar o papel da enzima sEH na senescência e seu impacto nos parâmetros ósseos e na cascata inflamatória associado ao envelhecimento. Os dados a serem obtidos também buscam evidenciar novos alvos terapêuticos que possam controlar a perda óssea alveolar relacionado a senescência.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)