Busca avançada
Ano de início
Entree

Engenharia de película adquirida: avaliação in vitro do potencial protetor de uma proteína híbrida recombinante contra a erosão inicial

Processo: 23/11617-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2023
Vigência (Término): 30 de novembro de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:Anna Clara de Mello Zonta
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/26070-1 - Modulação da película adquirida do esmalte e do biofilme para o controle da perda mineral dentária: desvendando mecanismos e possibilitando terapias, AP.TEM
Assunto(s):Erosão dentária   Película adquirida   Proteínas
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:erosão dentária | película adquirida | Proteinas | Bioquímica - Biologia Oral

Resumo

Uma nova proteína híbrida recombinante merece ser estudada devido a sua praticidade de ser produzida quando comparada com a produção isoladamente da CaneCPI-5 e do peptídeo derivado da estaterina. Desta forma, produzir uma proteína de forma funcional, com o peptídeo derivado da estaterina em fusão com a cistatina, possibilita a sua produção em bactérias, o que é mais barato e viável. Deve-se mencionar que o peptídeo e a CaneCPI-5 se ligam a sítios distintos da hidroxiapatita, podendo garantir uma maior proteção contra a erosão inicial. Assim, o objetivo do presente estudo será analisar o efeito protetor e definir concentrações da construção da proteína híbrida recombinante pela modificação da película adquirida para proteção contra a erosão inicial do esmalte in vitro. Serão confeccionadas 119 amostras de esmalte bovino (4 X 4 mm). Posteriormente, as amostras serão aleatorizadas e divididas em 7 grupos, de acordo com os tratamentos (n/grupo=17): 1) Água deionizada (controle negativo); 2) CaneCPI-5 0,1 mg/mL (controle positivo); 3) Solução comercial com SnCl2/NaF/AmF (800 ppm Sn + 500 ppm F-, pH 4,5, Erosion Protection® - GABA, (controle positivo); 4) Proteína híbrida CaneCPI-5 + peptídeo derivado da estaterina no N- e C- terminal 0,05 mg/mL; 5) Proteína híbrida CaneCPI-5 + peptídeo derivado da estaterina no N- e C- terminal 0,1 mg/mL; 6) Proteína híbrida CaneCPI-5 + peptídeo derivado da estaterina no N- e C- terminal 0,5 mg/mL; 7) Proteína híbrida CaneCPI-5 + peptídeo derivado da estaterina no N- e C- terminal 1,0 mg/mL. Inicialmente, as amostras serão tratadas individualmente (250 µL) com as respectivas soluções por 3 min, 37 ºC, sob agitação constante. Em seguida, a película adquirida será formada individualmente (250 µL) por 2 h, 37 ºC, sob agitação constante (a saliva estimulada será coletada de 9 voluntários). Posteriormente, o desafio erosivo será feito individualmente (1 mL) com ácido cítrico 0,65 % (pH = 2,5) por 1 min, a 37 ºC, sob agitação constante. Estes procedimentos serão realizados uma vez ao dia, durante 3 dias consecutivos. As análises de microdureza de superfície (SHM) serão executadas e as alterações na SMH (SHM baseline - SMH pós-erosão) serão calculadas. Os dados serão analisados, utilizando-se o software GraphPad Prism. Primeiro, os dados serão checados em relação à normalidade (teste de Kolmogorov-Smirnov) e homogeneidade (teste de Bartlett), para seleção do teste estatístico apropriado. O nível de significância será de 5%.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)