Busca avançada
Ano de início
Entree

Biomarcador molecular para pneumonite intersticial fibrosante pós COVID-19

Processo: 23/10184-3
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2024
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Alexandre Todorovic Fabro
Beneficiário:Sabrina Setembre Batah
Supervisor: Claudia dos Santos
Instituição Sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Toronto (U of T), Canadá  
Vinculado à bolsa:21/09024-6 - Pneumonite Intersticial Fibrosante pós COVID-19, BP.DR
Assunto(s):Biologia computacional   Biomarcadores   COVID-19   Sequenciamento de nova geração   Pneumologia   Doenças pulmonares intersticiais
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:bioinformática | Biomarcador | Covid-19 | sequenciamento de nova geração | trascriptoma | Pneumologia

Resumo

A pneumonite intersticial fibrosante (PIF) pode ser definida como uma tentativa de reparar o tecido pulmonar lesado, com alguma deposição extensa de matriz extracelular, levando ao desarranjo do parênquima pulmonar e espessamento septal. Os mecanismos regulatórios envolvidos na fibrogênese são complexos e envolvem uma série de moléculas. A PIF pode ser o resultado final comum de muitas doenças pulmonares distintas (como a fibrose pulmonar idiopática) ou estar relacionada a inflamações virais crônicas como a COVID-19. Histopatologicamente alguns pacientes podem apresentar dano alveolar difuso e posterior proliferação miofibroblástica exacerbada com deposição de matriz extracelular, resultando em remodelamento parenquimatoso e futura PIF, que muitas vezes pode ser o desfecho da COVID-19. A análise recente do transcriptoma em pacientes com COVID-19 revelou regulação positiva de genes de colágeno e da família de genes MUC; E o transcriptoma de células mononucleares do sangue periférico identificou genes significativamente alterados relacionados à atividade da imunidade inata e genes enriquecidos para apoptose e vias de sinalização P53. Devido ao tempo da doença em que o sangue é coletado, o transcriptoma das amostras de sangue tende a destacar genes relacionados ao processo inflamatório agudo, ofuscando os genes relacionados ao início do processo fibrótico. Portanto, o objetivo deste projeto é explorar potenciais biomarcadores moleculares sanguíneos para prever o fenótipo fibrótico e o resultado no COVID-19 por transcriptoma de sangue e tecido pulmonar por meio de análise de bioinformática. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)