Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do licopeno na periodontite induzida em ratos com diabetes mellitus tipo 2

Processo: 22/11244-7
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2023
Vigência (Término): 31 de março de 2026
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Paulo Sergio Cerri
Beneficiário:Arles Naisa Amaral Silva
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Modelos animais   Osteoclastos   Periodontite   Processo alveolar   Reabsorção óssea   Terapia periodontal   Histologia
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Modelo Animal | osteoclastos | Periodontite | processo alveolar | Reabsorção ossea | Terapia periodontal | Histologia

Resumo

A periodontite (P) e o Diabetes mellitus tipo 2 (DM2) são doenças crônicas complexas e multifatoriais, caracterizadas por um estado hiper-inflamatório. A resposta imunoinflamatória promove o recrutamento de células específicas que liberam mediadores, dentre eles a interleucina-1² (IL-1²), IL-6, IL-7, fator de necrose tumoral-alfa (TNF-±) e metaloproteinases da matriz (MMPs). Portanto, modular a resposta imunoinflamatória pode ser uma abordagem complementar no tratamento da P e controle do DM2. O licopeno, um hidrocarboneto carotenoide, tem efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes. Assim, é provável que o licopeno exerça um papel benéfico sobre a P e no controle do DM2. O objetivo geral deste estudo será avaliar se a administração sistêmica de licopeno reduz os efeitos deletérios promovidos pela periodontite induzida em ratos com DM2. Duzentos e cinquenta e dois ratos Holtzman serão distribuídos aleatoriamente em 7 grupos: 1) Grupo Controle (GC; ratos saudáveis), 2) DM2+P (ratos com DM2 e periodontite induzida), 3) DM2+P+L (ratos com DM2, periodontite induzida e tratados com licopeno), 4) DM2 (ratos com DM2), 5) DM2+L (ratos com DM2 e tratados com licopeno), 6) P (ratos com periodontite), 7) P+L (ratos com periodontite e tratados com licopeno). O DM2 será induzido com dieta hiperlipídica e estreptozotocina (25 mg/kg). Após 7 dias à administração da estreptozotocina, a P será induzida com a inserção de um fio de algodão no colo cervical dos 1ºs molares superiores. No dia da indução da P, os ratos receberão 20 mg/kg de peso corporal de licopeno ou solução fisiológica por gavagem por 7, 35 e 70 dias. Em cada período, o sangue será coletado e os parâmetros de lipídios, concentração de insulina, HOMA-IR, hemoglobina glicada, proteína C reativa e níveis de estresse oxidativo (MDA - malondialdeído) serão medidos no soro. O fígado e o pâncreas também serão removidos para avaliação histopatológica. Para inclusão em parafina, os fragmentos da maxila serão fixados em formaldeído (pH 7,2), descalcificados e posteriormente processados para inclusão em parafina. Fragmentos de maxila serão fixados, descalcificados e incluídos em Araldite para análise ultraestrutural. De cada maxila, cortes sagitais não seriados serão corados com HE para análises morfológicas e quantitativas. Além disso, a possível interferência em citocinas pró-inflamatórias será avaliada pela detecção imuno-histoquímica de IL-1², TNF-±, IL-6, IL-7 e IL7-R. Para avaliar se o licopeno reduz a perda óssea alveolar, as maxilas serão analisadas por micro-CT e o número de osteoclastos na superfície alveolar será computado nos cortes submetidos à TRAP, utilizada como marcador de osteoclasto. Caspase-3, método do TUNEL e as características ultraestruturais serão usados para avaliar se o licopeno induz apoptose de osteoclastos. As reações imuno-histoquímica anti-RANKL, -OPG, -NF-kB p65 (fator nuclear kappa B) serão realizadas para avaliar se o licopeno interfere nas vias de sinalização envolvidas na formação de osteoclastos. Para avaliar se o licopeno reduz a degradação de componentes extracelulares, o colágeno birrefringente e a detecção imuno-histoquímica de MMP-1, MMP-8 e MMP-9 serão realizadas na mucosa gengival. O efeito do licopeno durante a progressão da periodontite também será investigado pela detecção de proteínas associadas à formação óssea (osterix e fosfatase alcalina) e IL-10, uma citocina anti-inflamatória associada ao reparo tecidual. Amostras de mucosa gengival serão removidas e armazenadas a -80º C para avaliar a expressão de NF-kB p65, STAT3 e DC-STAMP, fatores necessários para diferenciação de osteoclastos por RT-qPCR em tempo real. Os dados serão submetidos ao programa GraphPad Prism 8.4.3 para aplicação dos testes, além de regressões logísticas múltiplas e lineares e correlações das análises propostas para todos os grupos e períodos experimentais.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)