Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da reatividade cruzada induzida após imunização de camundongos com proteínas do envelope mutadas ou não mutadas dos vírus dengue e zika.

Processo: 23/02433-3
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2023
Vigência (Término): 31 de maio de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Silvia Beatriz Boscardin
Beneficiário:Vitoria Maria Pereira da Silva
Instituição Sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dengue   Imunização   Proteínas recombinantes   Vírus Zika   Resposta humoral
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:ade | Anticorpos de reatividade cruzada | Dengue | imunização | proteína recombinante | Zika | resposta humoral

Resumo

O gênero Flavivirus é composto por vírus de genoma de RNA de cadeia simples, de sentido positivo, compreendendo diferentes vírus, como o vírus dengue sorotipo 2 (DENV-2) e o vírus ZIKA (ZIKV), ambos de grande importância em saúde pública no Brasil. Os flavivírus apresentam similaridade estrutural entre si, e esta semelhança é responsável pela indução de anticorpos de reação cruzada, que têm como principal alvo a proteína do envelope (E). Mais especificamente, os anticorpos de reatividade cruzada parecem ser dirigidos para a porção do loop de fusão (FL) da proteína E, uma região altamente conservada entre os flavivírus que está vinculada com o processo de fusão das membranas viral e membrana da célula hospedeira. A ocorrência da reatividade cruzada tem sido relacionada a um aumento da infecção, além de ser um obstáculo para a detecção correta em testes sorológicos e para o desenvolvimento de vacinas e terapias seguras e eficazes. Em busca de amenizar tal ocorrência, foi relatado que mutações específicas no FL aparentam reduzir a reatividade cruzada. A fim de estudar em maiores detalhes esse fenômeno, este projeto tem como objetivo avaliar a reatividade cruzada induzida após imunização com proteínas E mutadas e não mutadas (selvagens) no loop de fusão dos vírus dengue sorotipo 2 (DENV-2) e ZIKA (ZIKV). As proteínas E de DENV-2 e ZIKV, mutadas no loop de fusão e selvagens, serão produzidas em células S2 de Drosophila e, posteriormente, purificadas. Camundongos C57BL/6 serão imunizados com as proteínas produzidas em esquema vacinal de 2 a 3 doses, com um intervalo de 14 dias entre elas. Ao final da administração prevista, os animais passarão por um procedimento de sangria para coleta do sangue e obtenção dos soros. Por fim, dois ensaios de imunoabsorção enzimática (ELISA) serão realizados com o objetivo de titular os anticorpos produzidos pelos animais e analisar a reatividade cruzada dos mesmos anticorpos utilizando as proteínas E produzidas anteriormente.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)