Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de Produtos Fitoterápicos a Base de Curcuminoides como Anti-inflamatórios para Aplicações na Área Veterinária

Processo: 23/03007-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2023
Vigência (Término): 31 de outubro de 2024
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Ana Carolina Rodrigues Montes
Beneficiário:Camily dos Santos
CNAE: Fabricação de medicamentos para uso veterinário
Vinculado ao auxílio:22/06850-5 - Desenvolvimento de produtos fitoterápicos a base de curcuminoides como anti-inflamatórios para aplicações na área veterinária, AP.PIPE
Assunto(s):Diarileptanoides   Medicamentos fitoterápicos   Medicina veterinária
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:curcuminóides | Fitoterápicos | Veterinária | Veterinária

Resumo

No Brasil, assim como em vários países ao redor do mundo, o mercado veterinário cresce a cada ano, bem como o apelo a produtos naturais e sustentáveis como os fitoterápicos. Apenas 1% do mercado de fitoterápicos no Brasil é voltado ao segmento veterinário, porém o setor cresce em torno de 25% ao ano, superando qualquer outro. Este projeto se encaixa dentro deste ramo, propondo os curcuminoides, ativos extraídos da planta popularmente conhecida como açafrão da terra, ou Curcuma longa L, como solução fitoterápica. Os curcuminóides possuem diversas propriedades terapêuticas comprovadas na literatura científica, e, além disso, têm grande potencial comercial como anti-inflamatório para animais, incluindo linhas pet, portes médio e grande. Apesar deste potencial, há uma limitação a ser superada: a solubilidade dos curcuminóides. Este é um fator determinante para sua biodisponibilidade quando administrada oralmente, isto porque os curcuminoides pertencem à classe II do Sistema de Classificação Biofarmacêutica, ou seja, baixa solubilidade e alta permeabilidade oral. Na Fase 1 deste PIPE obteve-se resultados que comprovaram a hipótese de que micropartículas de dispersão sólida dos curcuminóides obtidas por spray congealing aumentariam a solubilidade destes ativos e causariam uma melhora no seu desempenho como anti-inflamatório veterinário por via oral. Portanto, a viabilidade do conceito, missão da Fase 1 foi devidamente cumprida, conforme pode ser comprovado no seu relatório técnico-científico. Na Fase 2 o projeto tem como objetivos a extensão dos trabalhos com: 1) o estudo de novas variáveis do processo de produção das micropartículas por spray congealing, visando a sua otimização, inclusive usando ferramentas de análise multivariada (DOE), visando o aumento de solubilidade, taxa de dissolução, análise de custos, estabilidade, atividade anti-inflamatória in vitro; 2) completar os estudos de citotoxicidade com mais modelos; 3) completar os estudos de dose anti-inflamatória in vivo (em ratos) conciliando com estudos de toxicidade; 4) preparar formas finais sólidas (medicamentos para Pets na forma "palatável") contendo as micropartículas; 5) avaliar a palatabilidade destas formas; 6) avaliar a estabilidade (tempo de prateleira) para estas formas; 7) preparar formas finais semi-sólidas (cristais líquidos) contendo as micropartículas para aplicação tópica das micropartículas; 8) realizar testes clínicos (terceirizados) em animais pet como cães e gatos com ambas as formas (palatável e tópica). Na Fase 2 deste PIPE pretende-se também avaliar a possibilidade de aplicação das micropartículas em sistemas com atividade antimicrobiana, para uma nova aplicação que seria para o tratamento preventivo e profilático da mastite bovina com a realização de: 1) avaliação de concentração inibitória mínima (MIC) das micropartículas em microrganismos patógenos causadores da mastite; 2) preparar formas farmacêuticas para aplicação tópica das micropartículas (cristais líquidos de monooleína), avaliando suas propriedades físico-químicas e farmacotécnicas; 3) avaliar a atividade anti-inflamatória e antimicrobiana desta formulação in vitro.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)