Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um modelo pré-clínico de doença renal crônica induzida pela dieta de adenina em ratos resistentes ao exercício

Processo: 22/15427-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 31 de março de 2023
Vigência (Término): 30 de março de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Dulce Elena Casarini
Beneficiário:Vinicius Guzzoni
Supervisor: Lauren Gerard Koch
Instituição Sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Toledo (UT), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:21/06090-8 - Papel do treinamento físico aeróbio sobre a hipertrofia cardíaca induzida pelo estresse crônico: participação do sistema renina angiotensina e das vias de sinalização JNK e p38 MAPK, BP.PD
Assunto(s):Fisiologia do exercício   Matriz extracelular   Adenina   Angiotensinas   Insuficiência renal crônica
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:adenine | angiotensin | chronic kidney disease | exercise resistance | extracellular matrix | hyperglycaemia | Fisiologia do Exercício

Resumo

A doença renal crônica tem sido reconhecida como um problema de saúde pública. Eventos fisiológicos e moleculares, tais como hiperglicemia, inflamação, estresse oxidativo e vias de sinalização da angiotensina contribuir significativamente para o desenvolvimento e progressão desta condição patológica nos rins. Embora o treinamento aeróbio possa prevenir ou minimizar as complicações da doença renal, níveis baixos de atividade física, bem como intolerância ao exercício físico, são fenômenos observados ao longo do percurso da doença renal crônica. Evidências recentes demonstraram que uma melhora da capacidade física em resposta ao treinamento aeróbico foi prejudicada pela hiperglicemia, e que esta resposta foi relacionada ao acúmulo de matriz extracelular (MEC) no músculo esquelético. Modelos experimentais gerados por reprodução seletiva para baixa (LRT) ou alta (HRT) resposta ao treinamento aeróbico tem sido utilizados para entender a relação entre exercício físico e a progressão da doença renal, assim como o fenômeno de resistência ao exercício físico. Além disso, ratos tratados com dieta de adenina produziram várias características humanas da doença renal. Usando modelos experimentais específicos, investigaremos as principais vias biológicas envolvidas na resistência ao exercício físico (modelos LRT vs. HRT) e testaremos diretamente a hipótese de que a resistência ao exercício físico tem profundo impacto no acúmulo de MEC, resposta inflamatória e dano oxidativo em modelo experimental de doença renal crônica. Além disso, os mecanismos subjacentes às mudanças na homeostase da MEC envolveriam a ativação de quinases intracelulares. Portanto, nosso objetivo é descobrir novos mecanismos moleculares entre o fenômeno de resistência ao exercício físico e respostas à doença renal, investigando a homeostase da glicose, resposta inflamatória, estresse oxidativo, sinalização da angiotensina e remodelamento da MEC. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)