Busca avançada
Ano de início
Entree

Fermentação de hidrolisado de borra de café mediada por detoxificação visando a produção de etanol e ácidos orgânicos e a recuperação de compostos aromáticos

Processo: 22/12942-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2023
Vigência (Término): 30 de abril de 2024
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária
Pesquisador responsável:Giovana Tommaso
Beneficiário:Maria Eduarda Simoes Dias
Supervisor: Solange Ines Mussatto Dragone
Instituição Sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa: Technical University of Denmark (DTU), Dinamarca  
Vinculado à bolsa:20/07737-2 - Pré-tratamentos hidrotérmico e químico de resíduos da produção de café solúvel acoplados à metanogêse, BP.DR
Assunto(s):Borra de café   Compostos aromáticos   Método hidrotérmico
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Borra de café | Compostos Aromáticos | detoxificação | Fermentação de hidrolisado | Pré-tratamento Hidrotérmico | Pré-tratamento hidrotérmico de borra de café e fermentação de hidrolisado

Resumo

A geração de produtos de valor agregado a partir de resíduos de biomassa lignocelulósica e resíduos agroindustriais por meio de conversão biológica pode auxiliar no atual cenário de escassez de recursos naturais. O café é a segunda commodity mais comercializada globalmente, sendo o petróleo o primeiro. Desta forma, dentre os resíduos lignocelulósicos, os decorrentes da produção cafeeira merecem atenção. A Organização Internacional do Café (OIC, 2019/20) estimou o número mais recente para a produção mundial de café, igual a 11 milhões de toneladas. Dado que cerca de 50 a 80% da massa de cereja do café gera resíduos sólidos, a indústria cafeeira oferece muitas fontes de biomassa renováveis e promissoras. Assim, esta proposta analisa a viabilidade do uso do resíduo sólido do processamento de café solúvel para recuperar compostos de valor agregado por meio da fermentação do hidrolisado da borra de café mediada por detoxificação. Os ensaios de fermentação serão feitos por cepas puras (Lactobacillus salivarius e Moorella thermoacetica) e evoluídas (Kluyveromyces marxianus) com foco na produção de ácido acético, ácido lático e etanol a partir de hidrolisado de borra de café detoxificado e "bruto" como substrato. O trabalho também deve promover a recuperação de compostos fenólicos do hidrolisado durante a etapa de detoxificação. Além disso, uma avaliação técnico-econômica permitirá a comparação entre todas as rotas estudadas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)