Busca avançada
Ano de início
Entree

Metaontologia meinongiana e o paradoxo dos existenciais negativos

Processo: 22/13928-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 20 de fevereiro de 2023
Vigência (Término): 27 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - Metafísica
Pesquisador responsável:Giorgio Venturi
Beneficiário:Renato Semaniuc Valvassori
Supervisor: Matteo Plebani
Instituição Sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa: Università degli Studi di Torino (UNITO), Itália  
Vinculado à bolsa:22/00112-2 - Metaontologia Meinongiana e o paradoxo dos existenciais negativos, BP.MS
Assunto(s):Ontologia (filosofia)
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Meinongianismo | Metaontologia | Metaontologia

Resumo

A pesquisa do aluno centrar-se-á na disputa metaontológica entre neoquineanos e neomeinongianos, e pretende verificar qual é a melhor solução para o chamado paradoxo dos existenciais negativos, que sintetiza o conflito entre as duas tradições filosóficas em estudo. No cerne da disputa entre neoquineanos e neomeinongianos está a tese de que quantificar sobre um determinado domínio de objetos, especialmente em contextos científicos, nos compromete ontologicamente com a existência de tais objetos. Diferentes perspectivas Meinongianas questionam esta ideia, e tendem a aceitar que as nossas melhores teorias científicas ou filosóficas também podem quantificar sobre objetos inexistentes. Essa disputa, de caráter metaontológico, afeta diretamente diversas áreas da filosofia da linguagem e da metafísica, impactando especialmente nossas teorias sobre intencionalidade, a maneira com qual concebemos veridadores, como interpretamos discursos ficcionais e como compreendemos objetos abstratos. O estágio de pesquisa pretendido visa aprofundar o conhecimento do estudante sobre as principais teorias e argumentos dos teóricos neomeinongianos, tais como Graham Priest e Franz Berto - defensores do chamado Meinongianismo Modal -, Dale Jacquette -, adepto do Meinongianismo Nuclear -, e Edward Zalta, o principal teórico do Meinongianismo da Cópula Dupla, numa tentativa de verificar se estes não apenas conseguem responder satisfatoriamente às objeções de neoquineanos, como também examinar se o poder explanatório de suas teorias é equivalente ou superior às dos neoquineanos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)