Busca avançada
Ano de início
Entree

Exposição solar e liberação de NO. Um estudo mecanístico em modelos de pele articial

Processo: 22/13066-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2022
Vigência (Término): 31 de agosto de 2025
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Radiologia e Fotobiologia
Pesquisador responsável:Mauricio da Silva Baptista
Beneficiário:Paulo Eduardo da Costa
Instituição Sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07937-8 - Redoxoma, AP.CEPID
Assunto(s):Fotoquímica   No   Oxigênio singleto   Bioquímica
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:fotoquímica | No | Oxigênio Singlete | Proteção solar | Bioquímica

Resumo

A radiação solar não traz apenas danos à pele. Os raios UVB são responsáveis pela formação e posterior ativação da vitamina D, e este composto possui uma infinidade de atividades biológicas, podendo inclusive inibir a proliferação de células tumorais por estimular o aumento do número de células apoptóticas. Além disso, a diminuição da pressão arterial, que é induzida pela liberação de óxido nítrico (NO) com a exposição ao sol, é um fato conhecido que não recebeu explicações mecanicistas adequadas. O NO está relacionado a uma ampla gama de processos fisiológicos, como vasodilatação, citotoxicidade de macrófagos e cicatrização de feridas. É provável que complexos específicos de NO possam liberar NO após a exposição ao sol, trazendo benefícios claros para os indivíduos envolvidos em exposições de pequeno período. Complexos de NO foram detectados na pele e podem desempenhar um papel importante na liberação fotoinduzida de NO. Complexos de dinitrosil ferro (DNIC), que são complexos com moléculas de ferro, NO e tióis, como cisteína, glutationa e proteínas tiol, são fortes candidatos a cumprir esse papel. Além disso, evidências recentes mostraram que o metabolismo do ferro na epiderme tem impactos mensuráveis no metabolismo sistêmico do ferro. A concentração e liberação de ferro da pele podem ter relação com a concentração local de DNIC, mas essa relação nunca foi devidamente investigada. Neste projeto, utilizaremos modelos 3D de pele e espécimes ex-vivo de pele e vasos sanguíneos: 1. Caracterizar os espectros de ação fotoquímica da liberação de NO por diversos complexos DNIC; 2. Compreender se a irradiação induz a formação de complexos NO nos modelos de pele com incubação em diferentes níveis de ferro livre. 3. Avaliar as consequências da liberação de NO, concentração de ferro e exposição solar na maturação de modelos 3D de pele, em vasos sanguíneos ex-vivo e espécimes de pele.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)