Busca avançada
Ano de início
Entree

Análises estruturais, funcionais e de difusão com FSL de preditores de resposta clínica da estimulação transcraniana por corrente contínua para tratamento de transtorno depressivo maior

Processo: 22/09688-4
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 16 de janeiro de 2023
Vigência (Término): 23 de dezembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Andre Russowsky Brunoni
Beneficiário:Tamires Araujo Zanão Mariano
Supervisor: Jacinta O'Shea
Instituição Sede: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Oxford, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:20/03235-2 - Avaliação da conectividade funcional e estrutural como preditor de resposta clínica ao uso da estimulação transcraniana por corrente contínua no tratamento da depressão unipolar e do transtorno obsessivo compulsivo, BP.PD
Assunto(s):Neurociências   Neuroimagem   Transtornos do humor   Transtorno depressivo maior   Depressão
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Depression | Dti | Mri | neuroimagem | tDCS | Transtornos do Humor | neuroimagem/neurociências

Resumo

O Transtorno Depressivo Maior (TDM) é uma importante causa de disabilidades. Os medicamentos antidepressivos são o tratamento mais frequente, mas outras opções adequadas são necessárias, e a estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC) é promissora. A ETCC é uma técnica de estimulação não invasiva que injeta corrente elétrica de baixa intensidade através de eletrodos localizados no couro cabeludo, agindo para facilitar ou inibir a transmissão sináptica. Embora resultados encorajadores tenham sido relatados, as descobertas sobre a eficácia da ETCC ainda são heterogêneas, e a técnica ainda precisa ser otimizada. Considerando que o mecanismo da ETCC consiste em estimular regiões-alvo do cérebro, o uso da neuroimagem é particularmente promissor para compreender como melhorar os efeitos da neuromodulação. Os estudos de Ressonância Magnética (MRI) ajudam a estabelecer alvos de estimulação com maior precisão e com a identificação de biomarcadores baseados em MRI, potencialmente impulsionando a resposta da ETCC. As modalidades de neuroimagem mais investigadas incluem 1) RM estrutural, que fornece informações sobre a estrutura anatômica da substância cinzenta e branca; 2) RM funcional (fMRI), para medir a atividade cerebral através da análise do sinal dependente do nível de oxigênio no sangue, e 3) RM de difusão (DTI), que usa a difusão de moléculas de água para fornecer uma visão da integridade da microestrutura. Recentemente, todas as três modalidades citadas foram investigadas como biomarcadores potenciais para TDM, mas, até o momento, somente nosso grupo começou a investigar biomarcadores baseados em MRI e efeitos antidepressivos da ETCC. Nossas investigações preliminares foram realizadas em uma amostra do ELECT-TDCS, um estudo duplo-cego, em um único centro e não-inferioritário, que incluiu pacientes com TDM aleatoriamente alocados ao ETCC ativo mais medicamento placebo (grupo ETCC); sham ETCC mais escitalopram (grupo escitalopram), ou sham ETCC mais medicamento placebo (grupo placebo). As imagens adquiridas no ELECT-TDCS incluem imagens estruturais, funcionais e de difusão (3T Phillips Scanner, HC-FMUSP). A ETCC (Soterix Medical, EUA; eletrodos = 25 cm2; sessões = 30 minutos de tDCS, com desligamento automático após 30 segundos nos grupos placebo) foi aplicada em áreas envolvidas na fisiopatologia da depressão, com ânodo no cortex pré-frontal dorsolateral esquerdo e cátodo no cortex pré-frontal dorsolateral direito. O ELECT-TDCS (total n = 243, 52 com ressonância magnética) realizou 22 sessões. O presente projeto visa realizar análises de neuroimagem adicionais e mais avançadas aos dados de RM do ELECT-TDCS utilizando o software FSL, uma abrangente biblioteca de ferramentas de análise desenvolvida pelo renomado grupo FMRIB, Oxford, Reino Unido. Com base nos resultados preliminares, nossa hipótese é: para 1) MRI estrutural, o volume cerebral das áreas 9, 10 e 46 do Brodmann esquerdo e a área 9 do Brodmann direito, sugerida como possivelmente biomarcadores, estará diretamente associada aos efeitos antidepressivos da ETCC para TDM, para 2) fMRI a Rede de Modo Padrão (ou Default Mode Network) estará mais hiperligada em indivíduos com sintomas depressivos mais graves, e para 3) DTI - maior anisotropia fracionária do córtex pré-frontal estará associada a maior resposta antidepressiva da ETCC. As habilidades de neuroimagem adquiridas durante o estágio serão transferidas para o grupo do Prof. Brunoni. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)