Busca avançada
Ano de início
Entree

A direção estética do Wilhelm Meister de Goethe

Processo: 21/15174-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2022
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia
Pesquisador responsável:Marco Aurélio Werle
Beneficiário:Renato Costa Leandro
Instituição Sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):23/00880-2 - Schiller leitor de Os Anos de Aprendizado de Wilhelm Meister, de Goethe, BE.EP.MS
Assunto(s):Estética (filosofia)   Idealismo   Johann Wolfgang von Goethe
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:estética | Goethe | Idealismo | Schiller | Wilhelm Meister | Estética e Filosofia da Arte

Resumo

Este projeto tem como objetivo analisar minuciosamente o romance Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister [Wilhelm Meisters Lehrjahre], publicado por Goethe entre 1795 e 1796, sob o ponto de vista filosófico, dispondo como base crítica investigativa a troca de correspondências entre seu autor e Friedrich Schiller, com especial atenção as cartas trocadas no período de 1794 a 1796, as quais apresentam, em linguagem especulativa, certos sentidos do romance. As cartas de Schiller e Goethe, além de deixarem antever a atmosfera filosófica de sua época, a saber, o kantismo e o nascente idealismo, constituem um importante documento de interpretação e redação do romance em questão, cuja análise crítica, quando aplicada ao que se encontra no percurso narrativo da obra, pode contribuir significativamente para a compreensão de seus movimentos internos. Desse modo, buscaremos apresentar a direção estética do romance, isto e, seu sentido filosófico a partir da via estética, o qual servira não só como um estudo interpretativo da obra, mas também de parte da correspondência entre Goethe e Schiller, iluminando assim as principais analises e críticas sobre o romance operadas pelo dito Goethezeit, como as de C.G. Korner, W. von Humboldt, Primeiro Romantismo de Jena e Hegel, e pela fortuna crítica contemporânea, como as de Gyorgy Lukacs e Franco Moretti. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)