Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel da IL-1a na comorbidade obesidade e tuberculose

Processo: 22/03974-5
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2022
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Vânia Luiza Deperon Bonato
Beneficiário:Vinicius Bottura Apolloni
Instituição Sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/21629-5 - Estratégias para estudar inflamação pulmonar no contexto de comorbidades, AP.TEM
Assunto(s):Obesidade   Células Th17   Tuberculose   Pneumonia
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:IL-1 alfa | obesidade | Th17 | Tuberculose | Inflamação pulmonar

Resumo

A tuberculose é uma doença heterogênea que causou 10 milhões de novos casos e 1,3 milhão de mortes em 2020. Fatores do patógeno e do hospedeiro afetam a progressão da doença, sendo a obesidade um deles. A obesidade aumenta a susceptibilidade às doenças pulmonares em decorrência da inflamação de baixo grau e sistêmica. Nosso grupo mostrou que camundongos obesos e infectados apresentavam pulmões mais inflamados e eram mais susceptíveis à infecção por Mycobacterium tuberculosis, o agente etiológico desta doença. Resultados preliminares do laboratório mostram que animais deficientes para IL-1a alimentados com dieta hiperlipídica exibem aumento da inflamação pulmonar e da suscetibilidade à infecção associada com redução da população de linfócitos Th17. Nesse contexto, nossos resultados sugerem um papel protetor para a IL-1a na redução da inflamação pulmonar e na resistência à infecção durante a comorbidade obesidade e tuberculose. Nossa hipótese é que a secreção de IL-1a contribui para manutenção e/ou expansão da população de células Th17 na comorbidade obesidade e tuberculose. O objetivo desse trabalho é avaliar se IL-1a induz o influxo de células mielóides, além dos linfócitos Th17, na infecção por M. tuberculosis e a interface IL-17, HIF-1a e inflamação pulmonar. Para tal, nós utilizaremos camundongos selvagens ou deficientes para a expressão de IL-1a, (IL-1a-/-) alimentados com dieta padrão ou hiperlipídica. Após 21 dias de infecção com M. tuberculosis, será avaliado o número de bactérias nos pulmões, a análise e a quantificação da inflamação pulmonar, serão determinadas as populações de macrófagos e neutrófilos, e a quantificação de ATP, HMGB-1, IL-1a, IL-17 e HIF-1a nos pulmões. Para comprovar se IL-1a realmente confere proteção aos animais obesos e infectados, os mesmos serão tratados com IL-1a recombinante e comparados ao respectivo grupo não tratado. Também temos como objetivos investigar se IL-1a afeta a atividade microbicida de macrófagos alveolares, além de seu possível papel na diferenciação de células Th17. As metodologias que serão utilizadas já estão padronizadas em nosso laboratório. O presente Projeto visa à identificação de novos alvos para imunoterapias direcionadas ao hospedeiro com as formas mais graves de tuberculose, como aquelas que cursam com comorbidades, como a obesidade e a diabetes tipo 2, e com exacerbação da inflamação pulmonar. A presente Proposta está vinculada ao Projeto Temático (Processo 17/21629-5).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)