Busca avançada
Ano de início
Entree

Estratégias para a melhora da interface osso/implante na presença de comprometimento sistêmico: da bancada para a clínica. estudos translacionais

Processo: 22/09006-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de agosto de 2022
Vigência (Término): 11 de setembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Roberta Okamoto
Beneficiário:Jaqueline Silva dos Santos
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:21/13026-4 - Estratégias para a melhora da interface osso/implante na presença de comprometimento sistêmico: da bancada para a clínica: estudos translacionais, AP.R
Assunto(s):Diabetes mellitus   Ósseointegração   Osteoporose   Pesquisa básica   Interface osso-implante
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:diabetes | interface osso implante | osseointegração | osteoporose | pesquisa básica

Resumo

Este projeto tem como objetivo principal avaliar estratégias relacionadas às características do dispositivo de instalação (implantes) que possibilitem a melhora do tecido ósseo reparacional na presença de comprometimento sistêmico, em estudos in vivo, pré clínicos. As condições de comprometimento sistêmico a serem abordadas neste projeto serão a osteoporose, desenvolvida em ratas ovariectomizadas e o diabetes tipo 2 desenvolvido em ratos a partir da associação de dieta de cafeteria e injeções de baixa dose de estreptozotocina. A escolha destas duas condições justifica-se pela prevalência destas comorbidades na população mundial. As estratégias propostas vão desde alterações na macrogeometria dos implantes à utilização do "drug delivery" a partir de "coatings" realizados pela técnica layer by layer, incorporando biomoléculas à superfície dos implantes para que, a partir de efeito local, elas possam desencadear respostas celulares que favoreçam o processo de reparo periimplantar. As estratégias propostas serão individualizadas para cada comorbidade estudada.Este projeto será dividido em etapas: estudos preliminares: estudos in vitro para caracterização biológica e físico química das superfícies de implante funcionalizadas. A etapa seguinte será dedicada aos estudos in vivo, onde os modelos experimentais escolhidos para este projeto (osteoporose e diabetes tipo 2) serão desenvolvidos em ratos e as cirurgias para instalação de implantes na tíbia dos animais será executada. Serão avaliados os tempos pós operatórios de 14 e 28 dias. As análises propostas buscam caracterizar em cortes descalcificados a histologia e a imunomarcação de proteínas relacionadas ao reparo ósseo aos 14 dias pós operatórios. Em ambos os períodos também serão realizadas as análises de torque de remoção (biomecânica) e a biologia molecular (PCR tempo real), análises por micro CT, histometria dinâmica (confocal), estática e a avaliação ultraestrutural da interface osso/implante. Os dados serão submetidos a testes estatísticos através do software Graph Pad Prism 7.03.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)