Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da estabilidade mitótica e genômica de células linfoblastoides de pacientes com Síndrome de Cornelia de Lange

Processo: 21/12996-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2022
Vigência (Término): 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maria Isabel de Souza Aranha Melaragno
Beneficiário:Thainá Vilella Rodrigues Maria
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/21644-0 - Impacto de variantes genéticas na estabilidade do genoma e seus efeitos no fenótipo, AP.TEM
Assunto(s):Apoptose   Síndrome de Cornélia de Lange   Genética médica

Resumo

A Síndrome de Cornelia de Lange (CdLS) é uma doença genética rara multissistêmica que apresenta diversas características físicas, cognitivas e comportamentais. A CdLS é causada por variações genéticas em genes que afetam a coesina, que consiste em um complexo proteico que possui fatores regulatórios para o ciclo celular, sendo essencial para a sobrevivência da célula e para a manutenção da estabilidade do genoma. Existem diversos genes envolvidos nesse complexo que estão alterados nos indivíduos com CdLS, dentre eles o NIPBL, sendo essa síndrome, considerada uma coesinopatia. O presente trabalho tem como objetivo avaliar os mecanismos de estabilidade mitótica e genômica em células de linhagens linfoblastoide de pacientes com a síndrome. Serão coletadas amostras de sangue de pacientes que estão em acompanhamento médico no Instituto da Criança - HC/FMUSP e que apresentam mutações no gene NIPBL nonsense. Será realizado o sequenciamento de Sanger dos pacientes para confirmação da mutação e a avaliação da expressão do gene NIPBL, a partir de material do sangue periférico. Será realizada a extração das células mononucleares e isolamento dos linfócitos para transformação em linhagem linfoblastoide (LCL) por meio do vírus Epstein- Barr (EBV), de forma a se obter uma linhagem imortalizada. As células serão cultivadas para posteriores ensaios de viabilidade, proliferação, apoptose, ensaio cometa e histona gama-H2AX, bem como RNA-seq, em comparação a indivíduos controle. Os dados obtidos auxiliarão na compreensão da fisiopatologia da doença e da correlação com as características fenotípicas dos pacientes.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)