Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da administração de irisina intracerebroventricular na modulação da neuroinflamação microglial e hipotalâmica por meio da via de sinalização do TLR4 em camundongos C57BL/6 obesos

Processo: 21/01448-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2022
Vigência (Término): 30 de setembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Helena Cristina de Lima Barbosa
Beneficiário:Kelly Cristina Pereira Bem
Instituição Sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Obesidade   Resistência à insulina   Fisiologia endócrina   Metabolismo de glucose
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:inflamação hipotalâmica | Metabolismo glicêmico | obesidade | resistência a insulina | Resistência a leptina | Fisiologia Endócrina

Resumo

Uma alimentação rica em ácidos graxos saturados de cadeia longa é capaz de provocar um estado inflamatório no sistema nervoso central (SNC) por meio de diversos mecanismos, dentre eles, a ativação do Toll-like receptor 4 (TLR4), resultando na liberação de citocinas pró-inflamatórias. Os núcleos hipotalâmicos, relacionados ao controle da fome e da saciedade, geralmente são comprometidos e se tornam menos responsivos aos hormônios leptina e insulina, contribuindo para o fenótipo hiperfágico e obeso. A ativação da microglia está envolvida de forma decisiva na neurodegeneração, observada em muitas patologias neuroinflamatórias, em decorrência da superprodução de fatores neurotóxicos, como a liberação das citocinas inflamatórias, incluindo TNF -±, IL-1² e IL-6. Por outro lado, a atividade física possui ação anti-inflamatória, e dentre os vários mecanismos conhecidos, destaca-se o seu efeito através da ação de miocinas liberadas pelo músculo esquelético. A irisina é uma adipomiocina, proveniente da clivagem de FNDC5 (Fibronectina Tipo III Domínio 5) que já mostrou exercer propriedades anti-inflamatórias por meio da regulação negativa de componentes da via TLR4/MyD88 em alguns tecidos. Pensando em tudo isso, utilizando dados de ensaios de sequenciamento de RNA mensageiro de células únicas (single-cell RNA sequencing - scRNAseq) investigamos a heterogeneidade da expressão de Fndc5, Itga5 e Itgb5 (responsáveis pela expressão do receptor de irisina ±V/²5 integrina) e Trl4 no hipotálamo de camundongos adultos por meio de análises bioinformáticas e identificamos que presença do gene Fndc5 predominantemente em neurônios, já a expressão dos genes Itga5, Itgb5 e Tlr4, em micróglias. Portanto, considerando o papel da micróglia na neuroinflamação em resposta aos ácidos graxos saturados, o objetivo deste estudo é avaliar os efeitos da administração de irisina intracerebroventricular (ICV) na modulação da neuroinflamação microglial e hipotalâmica por meio da modulação da via de sinalização do TLR4 em camundongos C57BL/6 obesos. Este projeto irá contribuir para o melhor entendimento da ação anti-inflamatória da irisina no hipotálamo, ressaltando o papel da microglia na neuroinflamação e como a restauração desse processo poderá impactar positivamente na sensibilidade central aos hormônios leptina e insulina em indivíduos obesos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)