Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanopartículas multifuncionais de alginato contendo doador de óxido nítrico e nanopartículas de óxido de cobre para aplicações biomédicas

Processo: 22/03914-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2022
Vigência (Término): 31 de maio de 2023
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Amedea Barozzi Seabra
Beneficiário:André Luiz Floriano Jacob
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Materiais nanoestruturados   Células tumorais   Óxido nítrico   Alginatos   S-nitrosotióis   Citotoxicidade   Toxicidade

Resumo

A molécula de óxido nítrico (NO) controla vários processos fisiológicos, como a promoção e aceleração da cicatrização cutânea, a reparação de diversos tecidos, e em altas concentrações possui ação antitumoral e antimicrobiana. Como o NO é um radical livre, no meio biológico existem espécies capazes de inativá-lo. Tióis (RSH) de baixa massa molecular são nitrosados formando os S-nitrosotióis (RSNOs), os quais atuam como carregadores e doadores de NO, aumentando a meia vida do NO e preservando sua ação biológica. Dentre os RSNOs, destaca-se a S-nitrosoglutationa (GSNO), encontrada endogenamente. Existe um grande interesse no desenvolvimento de veículos carregadores e doadores de NO para aplicações biomédicas, destacando-se as aplicações tópicas. Uma estratégia promissora que vem sendo utilizada é a combinação de nanopartículas com doadores de NO. Esses sistemas apresentam grandes chances de sucesso de uso como carregadores e liberadores de NO em meio biológico. Semelhantemente ao NO, nanopartículas de óxido de cobre (CuO NPs) são destaques na área biomédica por apresentarem potente propriedades antimicrobianas e citotóxica. Nesse trabalho, nanopartículas biodegradáveis e biocompatíveis de alginato contendo GSNO e CuO NPs serão sintetizados pelo método da geleificação ionotrópica, uma técnica simples, de baixo custo e eficiente. O alginato é um polissacarídeo utilizado como veículo de liberação controlada de diferentes fármacos, em especial na engenharia tecidual. Espera-se que a combinação de GSNO e de CuO NPs em nanopartículas de alginato desempenhem ação positiva frente a bactérias e toxicidade em linhagens de células tumorais. Este projeto tem como principais metas a preparação de nanopartículas de alginato contendo GSNO e CuONPs sua caracterização por diferentes técnicas, estudos cinéticos de liberação de NO e de cobre (Cu), a partir dos materiais preparados. Além disso, a citotoxicidade e ação antibacteriana dos materiais serão investigadas. Pretende-se obter um sistema de liberação sustentada e localizada de NO e de CuO NPs usando matrizes de alginato, com grande potencial de aplicações biomédicas.(AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)