Busca avançada
Ano de início
Entree

Cobre e cádmio, isolados e em mistura, em Eurytemora affinis (Copepoda): efeitos na fisiologia, comportamento e reprodução dos organismos expostos via água e via alimento

Processo: 21/14814-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 10 de maio de 2022
Vigência (Término): 09 de maio de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Evaldo Luiz Gaeta Espindola
Beneficiário:Giseli Swerts Rocha
Supervisor no Exterior: Céline Boulangé-Lecomte
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa: Université Le Havre Normandie, França  
Vinculado à bolsa:15/25436-1 - Influência de cobre e cádmio em alga e seus efeitos ecotoxicológicos em zooplâncton de água doce, BP.PD
Assunto(s):Ecotoxicologia   Metais   Cádmio   Cobre   Ecossistemas aquáticos   Cadeia alimentar   Impactos ambientais

Resumo

Atividades antrópicas, como agricultura e indústrias, geram grandes quantidades de resíduos prejudiciais, muito provavelmente terminando em ecossistemas aquáticos e potencialmente danificando toda a cadeia alimentar aquática. O excesso de metais liberados no meio ambiente é motivo de grande preocupação, uma vez que esses elementos podem afetar a fisiologia de diferentes níveis da cadeia alimentar - por exemplo, produtores (fitoplâncton); consumidores primários (por exemplo, zooplâncton) e consumidores secundários (por exemplo, peixes). Além de seus efeitos únicos nos organismos, nos sistemas aquáticos os metais podem interagir com outros metais, e com outros contaminantes como pesticidas e microplásticos, formando misturas complexas que podem ser antagônicas, sinérgicas ou com respostas aditivas. O estudo das misturas de metais também pode ser um desafio devido à essencialidade de alguns metais (por exemplo, cobre), em processos metabólicos. Os copépodes fazem parte do zooplâncton e podem ser encontrados em ambientes de água doce, marinhos e estuarinos. Eles são um elo muito importante entre os produtores e os níveis tróficos mais elevados. O uso de copépodes em ecotoxicologia ainda é escasso quando comparado a outros organismos do zooplâncton, como o cladócero Daphnia sp., Mas seu uso vem aumentando nas últimas décadas e diferentes abordagens estão sendo testadas, da ecotoxicologia tradicional à ecotoxicologia molecular. Nos últimos anos, o copépodo Calanoida eurialino Eurytemora affinis- nativo do hemisfério Norte - mostrou ser um organismo teste relevante em ecotoxicologia. Nosso objetivo com esta proposta é avaliar as respostas fisiológicas e comportamentais de E affinis expostos a concentrações ambientais e realistas de cobre (metal essencial) e cádmio (metal não essencial), isolados e em mistura. Os testes agudos serão realizados com os contaminantes da água, enquanto os testes crônicos e subcrônicos serão realizados com metais presentes na água (exposição direta) ou nos alimentos (exposição indireta). Estágios diferentes do organismo serão expostos aos metais, e iremos avaliar os efeitos nas taxas de filtração e ingestão, comportamento, eclosão dos ovos, sobrevivência dos náuplios e reprodução. Com essa abordagem, pretendemos elucidar a rota de exposição mais prejudicial aos organismos, bem como os efeitos dessas exposições em longo prazo (multigeracional). Além disso, poderemos comparar as respostas desta espécie (eurialina, do hemisfério Norte) com uma espécie de água doce usada por nós em nosso atual projeto no Brasil (água doce, nativa do Brasil). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)