Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da adoção de tempo de recuperação auto selecionado na melhoria de desempenho pós-ativação em homens sedentários e treinados

Processo: 21/12019-4
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2022
Vigência (Término): 23 de outubro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Leonardo Coelho Rabello de Lima
Beneficiário:Andressa Cardoso Portela
Instituição Sede: Unidade de Ensino de Campinas. Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). Liceu Coração de Jesus. Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia do exercício   Sedentarismo   Treinamento de força   Desempenho atlético   Análise de variância
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Melhoria de desempenho pós-ativação | Potência | Potencialização pós-ativação | Salto com contra movimento | Fisiologia do Exercício

Resumo

A melhora do desempenho pós-ativação (MDPA) é o fenômeno em que são observados incrementos no desempenho de atividades explosivas após a realização de atividade de pré-ativação (PA) consistindo em exercícios de alta intensidade. Diversos fatores influenciam na MDPA, como o estado de treinamento e o intervalo de tempo respeitado entre a atividade de PA e a realização da atividade explosiva cujo desempenho se visa potencializar. Em especial, o intervalo de tempo ótimo entre a atividade de PA e a atividade explosiva apresenta grande variabilidade entre indivíduos, sendo que um estudo recente demonstrou que a adoção um tempo de recuperação auto selecionado é mais eficaz do que a adoção de intervalo fixo de quatro minutos em indivíduos treinados. Entretanto, pelo fato de o estado de treinamento também afetar a responsividade à PAPE, o objetivo do presente estudo será investigar se este interfere na eficácia da utilização de tempo de recuperação auto selecionado quando se visa a manifestação da PAPE. Participarão do estudo homens adultos saudáveis que serão alocados em grupos sedentário (SED) e treinamento de força (TF) de acordo com seu histórico de treinamento. Seguindo um desenho experimental de cross-over, os grupos realizarão três sessões experimentais em ordem aleatória. A sessão experimental com intervalos fixos (IF) consistirá na mensuração de variáveis de desempenho de salto com contra movimento (SCM) 4 minutos antes, e 2, 4, 6, 8 e 10 minutos após a realização de cinco agachamentos com carga de 5-RM. A sessão controle (CON) consistirá nas mesmas mensurações, porém sem a realização dos cinco agachamentos. A sessão experimental com intervalo auto selecionado (IAS) consistirá na avaliação de variáveis de desempenho de SCM antes da realização dos mesmos cinco agachamentos realizados na sessão IF, além da repetição dessa mensuração após intervalo auto selecionado pelos participantes a partir do preenchimento de uma escala de prontidão. Os tempos de intervalo auto selecionado serão comparados entre grupos por testes t e Student para medidas não repetidas. O desempenho de saltos (altura de salto, força vertical e potência média) será comparado entre grupos, ao longo do tempo, e entre sessões experimentais por análises de variância fatoriais de três caminhos. O nível de significância adotado será de p < 0,05.(AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)