Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação da associação entre memória verbal e os níveis hipocampais de MCT4 e IGF-1R em pacientes com Epilepsia do lobo temporal esquerdo e Esclerose hipocampal tipo 2

Processo: 21/08076-2
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2022
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:José Eduardo Peixoto Santos
Beneficiário:Henrique Cruz Fermiano
Instituição Sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neuropatologia   Epilepsia do lobo temporal   Memória verbal   Imuno-histoquímica
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Epilepsia do lobo temporal | Esclerose hipocampal tipo 2 | Igf-1R | Mct4 | memória verbal | Neuropatologia

Resumo

Déficits de memória e aprendizagem verbal são observados na maioria dos pacientes com epilepsia do lobo temporal mesial esquerdo. Segundo estudos, estes déficits estariam ligados ao padrão de perda neuronal, onde os pacientes que apresentam perda neuronal na camada granular (casos com esclerose hipocampal tipos 1 e 3) possuem déficits de memória, enquanto casos com preservação da camada granular (esclerose tipo 2) apresentam preservação na capacidade de memorização. Entretanto, alguns pacientes com epilepsia do lobo temporal esquerdo e esclerose tipo 2 apresentam déficit de memória. Alguns estudos demonstraram efeitos dos níveis de lactato, controlados pelo transportador de monocarboxilato 4 (MCT4), e do fator de crescimento semelhante à insulina do tipo 1 (IGF1) na memória; nossa hipótese, então, é que pacientes com Esclerose tipo 2 que apresentam déficits de memória verbal apresentariam menores níveis destas proteínas na camada granular. Com isso, a presente proposta deseja analisar os níveis de MCT4 e do receptor de IGF-1 (IGF-1R) na camada granular de pacientes com Epilepsia do lobo temporal esquerdo e esclerose hipocampal do tipo 2 e diferentes escores de memória e aprendizagem verbal. Desejamos averiguar a existência da correlação entre o gradiente de expressão dessas proteínas no tecido, detectadas por imuno-histoquímicas, e o grau de comprometimento de memória nestes pacientes, medidos pelos Testes de Memória Lógica da Escala Revisada de Memória de Wechsler e de Aprendizagem Auditivo-Verbal de Rey.(AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)