Busca avançada
Ano de início
Entree

Análises U-Pb e de proveniência sedimentar em rutilos por LA-ICP-MS nas sequências Paleozoicas da Província Borborema: bacias do Parnaíba, Araripe e Tucano-Jatobá

Processo: 21/12621-6
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 22 de maio de 2022
Vigência (Término): 30 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Lucas Verissimo Warren
Beneficiário:Rodrigo Irineu Cerri
Supervisor: Christopher Spencer
Instituição Sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Local de pesquisa: Queen's University, Canadá  
Vinculado à bolsa:20/10739-7 - Geocronologia e proveniência das sucessões basais das Bacias do Parnaíba, Araripe, Jatobá e Tucano Norte: implicações para a origem das bacias intracontinentais do SW Gondwana, BP.PD
Assunto(s):Geocronologia   Gondwana (supercontinente)   Proveniência sedimentar
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Geocronologia | Gondwana | Proveniência sedimentar | Rutilo detrítico | Geocronologia

Resumo

As formações Cariri e Tacaratu correspondem às sucessões paleozoicas basais das bacias do Araripe e Jatobá/Tucano Norte, e são há anos interpretadas como sendo correlatas distantes da Formação Ipu, Bacia do Parnaíba. Estas unidades inferiores das sinéclises paleozoicas brasileiras correspondem às primeiras sucessões depositadas após a consolidação final de SW Gondwana no Período Ordoviciano e apresentam grande importância para inferências paleogeográficas, geocronológicas e geotectônicas das condições então atuantes durante o período inicial de subsidência das grandes sinéclises intracontinentais. A análise dos poucos trabalhos existentes que focam nesta problemática revela que, historicamente, a correlação destas unidades é sustentada por dados regionais e informações sedimentológicas e estratigráficas imprecisas. Recentemente, estudos estratigráficos, geocronológicos e de proveniência sedimentar na Formação Ipu apontam para deposição em grandes sistemas fluviais possivelmente oriundos das regiões montanhosas de idade Brasiliana ao sul/sudeste da Província Borborema. Estes fluíam para NW em direção às áreas costeiras de Gondwana, alimentados pelas regiões montanhosas de idade Brasiliana, possivelmente acompanhando uma plataforma em conformação de rampa aberta para ambientes oceânicos na borda NW do Gondwana (Oceano Panthalassa). Nas últimas décadas, um grande número de técnicas de geocronologia está sendo utilizadas para analises de proveniência sedimentar, incluindo Lu-Hf e idades U-Pb em zircão e rutilo detrítico. Como o rutilo é um dos minerais acessórios mais comuns e também um dos mais estáveis durante o intemperismo, ele vem sendo muito utilizado em diversas técnicas de análise de proveniência sedimentar, incluindo analises de elemento traço e geocronologia U-Pb. O principal objetivo deste projeto BEPE-PD é produzir analises geocronológicas em LA-ICP-MS nos rutilos detríticos das bacias do Parnaíba, Araripe e Tucano-Jatobá, com o intuito de refinar as idades e analises de proveniência sedimentar das sucessões Eopaleozoicas destas bacias, gerando um quadro paleogeográfico robusto. Na literatura, um grande número de trabalhos compara idades U-Pb de zircão e rutilo detrítico, demonstrando que as analises de rutilo podem revelar áreas fonte diferentes daquelas obtidas pelas analises de zircão. Este projeto BEPE-PD será desenvolvido na Queen's University (Kingston, Ontario, Canada), com a supervisão do Prof. Dr. Christopher Spencer, especialista em geocronologia, geoquímica isotópicas e proveniência.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)