Busca avançada
Ano de início
Entree

Quanta flexibilidade é suficiente? Efeito do mix de produção no desempenho econômico de usinas de açúcar e etanol

Processo: 21/11660-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2021
Vigência (Término): 30 de novembro de 2022
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Pesquisador responsável:Felipe Fernando Furlan
Beneficiário:Ricardo Geraldini de Almeida Duarte
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/10636-8 - Da fábrica celular à biorrefinaria integrada Biodiesel-Bioetanol: uma abordagem sistêmica aplicada a problemas complexos em micro e macroescalas, AP.BIOEN.TEM
Assunto(s):Processos industriais   Sistemas e processos construtivos   Viabilidade econômica   Setor sucroenergético   Simulação de processos

Resumo

O setor sucroenergético é de suma importância para a economia e a sociedade brasileira. O Brasil possui a maior produção de cana-de-açúcar e açúcar do mundo e segunda maior produção de etanol. As usinas sucroalcooleiras produzem etanol e açúcar a partir da cana-de-açúcar, enquanto a demanda de energia do processo é atendida pela queima do bagaço de cana em sistemas de cogeração (i.e., sistemas que produzem vapor de processo e energia elétrica). Além disso, muitas usinas produzem excedente de energia elétrica que é vendido às distribuidoras. Destilarias anexas têm capacidade de alterar a proporção do caldo desviado para a produção de etanol ou açúcar (chamado de mix de produção), podendo assim aproveitar a valorização de uma ou outra commodity. Assim, enquanto maiores flexibilidades permitem melhor aproveitamento dessas valorizações, estas também implicam em maiores custos, principalmente de investimento em equipamentos superdimensionados. Nesse contexto, o presente projeto busca analisar a viabilidade econômica de usinas com diferentes níveis de flexibilidade frente às variações nos preços das commodities, baseados em dados históricos desses preços. Para viabilizar a análise, a produção de açúcar será modelada e incorporada ao processo de produção de etanol e energia elétrica já modelado pelo grupo de pesquisa, no simulador de processos EMSO. Os custos operacional e capital também serão calculados no próprio simulador. Espera-se, através desse estudo, encontrar mix de produção que melhore a viabilidade da planta frente às oscilações dos preços das commodities. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)