Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da triiodotironina (T3) e das suas vias intracelulares na sinalização local mediada pela adenosina no browning do tecido adiposo humano

Processo: 21/12247-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2022
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Celia Regina Nogueira
Beneficiário:Lucas Solla Mathias
Supervisor no Exterior: Paulo Correia-De-Sa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidade do Porto (UP), Portugal  
Vinculado à bolsa:20/06763-0 - Avaliação da ação da triiodotironina (T3) no sistema purinérgico, com participação de vias extranucleares, em tecido adiposo humano, BP.DR
Assunto(s):Adenosina   Tecido adiposo   Tri-iodotironina   Endocrinologia   Reação de Browning

Resumo

O tecido adiposo (TA) é dividido em tecido adiposo branco (TAB) e tecido adiposo marrom (TAM). O TAB apresenta grande acúmulo lipídico, já o TAM apresenta menor acúmulo lipídico e grande quantidade de mitocôndrias, apresentando como marcador a proteína mitocondrial desacopladora-1 (UCP-1). Sabe-se que o TAB pode ser convertido em TAM, processo conhecido como browning. O TAB expressa receptores do sistema purinérgico, que quando ativados podem modular o metabolismo lipídico, e podem ser ativados por adenosina trifosfato (ATP) e seus derivados, como a adenosina (ADO). Alem disso, o TAB e modulado por hormonios tiroideanos (HT), principalmente a triiodotironina (T3), por meio de diferentes vias celulares, dentre elas MAPK/ERK e PI3K. Existe importante relação entre o HT e a sinalização purinérgica em diferentes sistemas fisiológicos e patológicos, contudo é pouco elucidada na literatura essa relação no tecido adiposo. Sabe-se que a ação do T3, bem como a ativação de receptores purinérgicos, estimulam o processo de browning do TAB. Em resultados prévios, demonstrou-se que o T3 aumentou os níveis de mRNA codificante para UCP1 paralelamente à redução da expressão de enzimas responsáveis pela metabolização da adenosina (e.g. ADA, ADK) em adipócitos subcutâneos humanos. Considerando que a redução dos níveis extracelulares de adenosina pode determinar alterações na sinalização mediada pelos seus recetores de membrana, pretendemos agora avaliar a ação do T3 e das vias de sinalização MAPK/ERK e PI3K associadas sobre a liberação de adenosina e a sua, eventual, relação com o browning no tecido adiposo subcutâneo humano. Pré-adipócitos humanos (HPAd-802s-05A) serão submetidos a um protocolo de diferenciação e, posteriormente, sujeitos a tratamento com T3 (10 nM, durante 24h) na presença ou ausência de inibidores das vias MAPK/ERK (PD98059, 5 ¼M) e PI3K (LY294002, 5 ¼M). A diferenciação adipogênica será avaliada pela coloração Oil Red; o browning será avaliado pela expressão proteica de UCP-1 por Western Blot e a liberac'ao/acumulação extracelular de ADO será avaliada por Ultra high performance liquid chromatography (UHPLC). A compreensão da ação do T3 por diferentes vias celulares sobre a liberação de adenosina e na indução do browning do tecido adiposo nunca antes foi realizado e permitirá conhecer melhor o funcionamento do tecido adiposo, principalmente a relação entre o papel dos hormônios da tireoide e as vias de sinalização purinérgicas locais (autócrinas/parácrinas) envolvidas no browning do tecido adiposo e, por conseguinte, no controlo da obesidade.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)