Busca avançada
Ano de início
Entree

Defesa planetária: o que é e como comunicar ao público

Processo: 21/11175-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2021
Vigência (Término): 30 de novembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Alvaro Penteado Crósta
Beneficiário:Maria Eduarda Teodoro Mistro
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Planetologia   Asteroides   Comunicação científica   Difusão da informação   Divulgação científica   Comunicação e divulgação científica

Resumo

Os asteroides habitam o Sistema Solar desde sua formação e alguns podem apresentar riscos para a vida na Terra devido à possibilidade de colisão contra o nosso planeta. O caso mais emblemático de impacto com implicações muito significativas para a vida é o do asteroide que atingiu a Terra há 66 milhões de anos, formando a cratera de Chicxulub, no Golfo do México, causando a extinção de cerca de 75% de todas as formas de vida da Terra, inclusive dos dinossauros. Mas apesar deste e de outros diversos eventos que continuam ocorrendo em escalas menores, esse tema é pouco abordado nas ciências, principalmente no Brasil. Quando é abordado pela imprensa, geralmente o é sob uma ótica alarmista e pouco fundamentada. Esta pesquisa tem como objetivo analisar os mais importantes eventos de impactos meteoríticos registrados, bem como refletir sobre as formas de divulgá-los à sociedade. No âmbito das Ciências Planetárias e Ciências da Terra, esse tema é tratado sob o enfoque da Defesa Planetária. Além de buscar formas de defender a Terra de um eventual impacto cósmico no futuro, um dos principais objetivos desse ramo da ciência é o de conscientizar a população sobre as características, frequência de ocorrência e sobre seus riscos e consequências. Neste projeto, pretende-se dar um enfoque ao tema com base em conceitos e técnicas geralmente utilizadas pelo jornalismo científico. Assim, buscar-se-á formas e linguagens que consigam transmitir os fatos que cercam os impactos meteoríticos de modo a que sejam entendidos pela população e que esta lhes dedique a atenção necessária, evitando eventuais episódios de desinformação e/ou pânico. Para isso, será usada uma metodologia semi-quantitativa, analisando desde o que são asteroides e cometas, passando pela simulação de eventos de impactos de grande porte e detalhando os fenômenos físicos decorrentes de encontros entre esses objetos e a Terra. Também serão analisadas as medidas para proteger o planeta e como grandes instituições como a NASA (National Space Agency, dos Estados Unidos) e a ESA (European Space Agency, da Comunidade Européia) têm contribuído com pesquisas e equipamentos para a defesa planetária. Pretende-se ainda desenvolver, por meio de entrevistas estruturadas, pesquisa qualitativa sobre a percepção da sociedade quanto aos riscos potenciais de impactos de corpos celestes contra a Terra. Finalmente, planeja-se utilizar os resultados desta pesquisa na preparação de atividade(s) de comemoração do Dia Internacional do Asteroide, celebrado anualmente em 30 de junho, sob a égide da ONU, da Asteroid Foundation e B612 Foundation, assim como a Planetary Society. Como resultados esperados encontram-se o fomento do debate sobre a defesa planetária e socialização do conhecimento científico sobre esse tema para toda a sociedade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)